Comissão de reestruturação do Curso Técnico Integrado de Telecomunicações

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

O TRABALHO DAS COMISSÕES

Comissões 2017

Comissão 2017-1

  • Membros da Área de Telecomunicações
  • Jorge Henrique Busatto Casagrande (coordenador)
  • Diego da Silva de Medeiros
  • Cleber Jorge Amaral
  • Ramon Mayor Martins
  • Membros da Área de Cultura Geral
  • Alexandre Sardá Vieira
  • Viviane Dávila Hendeinreich
  • Joce Mary Mello Miotto
  • Elenira Vieira Vilela
  • Sabine Schweder
  • Membro da Coordenadoria Pedagógica
  • Fernanda Carolina Dias Tristão

DIÁRIO DE BORDO DOS ENCONTROS

07/02/17 - Encontro com professores da Cultura Geral e de Telecomunicações

Pauta
  1. Informes: Adequação do PPC mediante a resolução 60/2016 do CONSUP;
  2. Socialização das atividades da comissão de Reestruturação;
  3. Nomes para a comissão de 2017-1;
  4. Link para planilha de ementas.
Encaminhamentos
  1. Após socialização dos encaminhamentos da comissão que decidiu implementar os projetos integradores para 2017-1, buscou-se debater como seria conduzida essa implementação. Algumas propostas foram levantadas como a não realização, implementação em todas as fases do curso ou implementação parcial. O conjunto de professores convocados de todas as fases decidiram pela maioria de votos pela implementação de dois projetos pilotos das fases 1 e 2 (projeto 1) e fases 7 e 8 (projeto 4);
  2. Foi selecionado os nomes da comissão de reestruturação para 2017-1.


09/03/17 - Discussão sobre a reforma do ensino médio segundo MEC

Pauta
  1. Informes:
    1. Andamento dos Projetos Integradores;
    2. Novas leis e apresentação do coordenador do MEC
      * Arquivo:Apresentação MEC.pdf
      * Arquivo:Perguntas reforma do ensino médio.pdf
  2. Ajustes do novo PPC até 30 de junho/17.
Encaminhamentos

Encontro não ocorreu devido falta de quorum!

06/04/17 - Discussão sobre a reforma do ensino médio segundo MEC

Pauta
  1. Informes:
    1. Andamento dos Projetos Integradores;
    2. Novas leis e apresentação do coordenador do MEC
      * resolução 60 de 12/12/16 que retifica a resolução 41 do CONSUP;
      * Lei 13.415 de 16/02/2017 que trata da implementação das escolas de ensino médio.;
      *Arquivo:Apresentação MEC.pdf
      * Arquivo:Perguntas reforma do ensino médio.pdf
  2. Ajustes do novo PPC até 30 de junho/17.
Encaminhamentos
  1. Com a contribuição dos profs Diego e Cleber foi relatado como está o avanço dos trabalhos dos projetos integradores 1 e 4 ;
  2. Com a contribuição do prof. Galdino a comissão teve um resumo de como foi sua avaliação da apresentação do coordenador do MEC cujo os documentos norteadores estão listados nesta pauta;
  3. O coordenador informa que a meta para os próximos encontros até o início de junho é o encaminhamento final do PPC modificado para avaliação pelo campus. Após isso o trabalho da comissão continua no sentido de discutir a fundo a lei 13415 e a reestruturação do curso propriamente;
  4. O coordenador informou que o processo de escrita do PPC no formulário do CEPE já estava em andamento e necessitava discutir alguns pontos para dar sequencia ao seu trabalho pois o referido documento precisa estar aprovado no campus até 30/04/17. Usando como base os itens do formulário, a comissão encaminhou o seguinte:
  • Necessariamente devido o que reza a lei 13415, os componentes curriculares Ciencias Humanas, deve ser substituido pelas disciplinas Filosofia ou Sociologia de modo alternado ou concentrado. O detalhamento das ementas e sua distribuição na grade atual ficou de responsabilidade da professora Joce;
  • Incluir as mudanças da ementa de ICO e o nome dela; rediscutir posicionamento de REDES na terceira fase;
  • Certificações Intermediárias, permanecem não existindo e será mérito para futuras encontros;
  • O item 29 que trata da matriz curricular será solicitada para a COGER, via coordenador da comissão, auxílio no preenchimento da mesma. Os encaminhamentos do encontro com Pacheco e representante do curso de RAC (prof Sérgio) marcada para dia 13/04 tb será usado para este propósito;
  • O item 32 da bibliografia ficará sob responsabilidade de preenchimento o prof Diego que se prontificou para a tarefa;
  • Os itens 40 e 41 ficou delegado ao coordenador;
  • O item 42 deve fazer menção de que a maioria dos livros didáticos é distribuída pelo governo e por isso não existem acervos na biblioteca;
  • na próxima reunião serão socializados os avanços na construção do documento.

13/04/17 - Projetos Integradores

Pauta
  1. Andamento dos Projetos Integradores;
  2. Socialização das tarefas da reunião anterior.
Encaminhamentos
  1. solicitar que o assunto das disciplinas de sociologia e filosofia entrem na pauta da reunião da CG sobre como ela será tratada nos dois cursos TELE e RAC?
  2. nome de ICO e mobilidade de disciplinas técnicas na grade e junção de outras precisam entrar na próxima pauta;
  3. projeto integrador 4 (fases 7 e 8) precisam de ajustes - convidar profs. Ramon e Ederson para apoiar trabalhos.

27/04/17 - Alterações do PPC 2017-2

Pauta
  1. Informes
    1. Andamento das alterações do PPC - partes comuns da RDP e ementário, aplicadas ao cursos RAC e TELE;
    2. Socialização das tarefas da reunião anterior.
  2. nome de ICO e mobilidade de disciplinas técnicas na grade e junção de outras.
Encaminhamentos
  1. Foi socializado sobre o andamento da escrita do PPC do integrado que tem partes comuns com o do curso de RAC;
  2. Prof. Diego solicitou mais um prazo para concluir a tarefa do levantamento das bibliografias das disciplinas técnicas;
  3. Prof. Alexandre Sardá fez a proposta de duplicar a carga horária de inglês da terceira fase herdando a carga horária de artes e da mesma forma duplica-se a carga horária de Artes na quarta fase herdando a carga horária de Inglês. A comissão entendeu que isso melhora o gerenciamento carga horária e condução do conteúdo das disciplinas que poderão ser ministradas em duas aulas seguidas em um dia da semana;
  4. Ficou como reflexão para a próxima reunião a possibilidade de encontrar alguma solução similar para outros componentes curriculares como história, geografia e português
  5. A comissão encontra vantagens em fundir as disciplinas de Análise de circuitos 1 (ANC1) e Instrumentação Eletrônica da quarta fase em um único componente curricular chamado Análise de Circuitos e Instrumentação (ANC1???);
  6. Em função da nova ementa do curso, a comissão decide alterar o nome da disciplina de Introdução à Computação para Introdução à Telecomunicações (ITL)


11/05/17 - Alterações para novo PPC 2017-2

Pauta
  1. Aprovação da Ata da reunião anterior;
  2. Entrega do PPC para avaliação no CEPE ficou pra 17/05;
  3. Grade de bibliografias realizada pelo professor Diego;
  4. Argumentos para as mudanças propostas da ata anterior;
Encaminhamentos


Nova Grade do curso aprovada pelo DEPE e CCE para 2018/1



Matriz Curricular   1ªFase   2ªFase   3ªFase   4ªFase   5ªFase   6ªFase   7ªFase   8ªFase    


Fase CH 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h 20h
400 CIÊNCIAS HUMANAS BIOLOGIA E PROGRAMAS DE SAÚDE FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA INTRODUÇÃO ÀS TELECOMUNICAÇÕES INGLÊS EDUCAÇÃO FÍSICA PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS BIOLOGIA E PROGRAMAS DE SAÚDE FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA ELETRÔNICA DIGITAL INGLÊS EDUCAÇÃO FÍSICA PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS BIOLOGIA E PROGRAMAS DE SAÚDE FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA CABEAMENTO ESTRUTURADO E REDES DE ACESSO INGLÊS EDUCAÇÃO FÍSICA PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS BIOLOGIA E PROGRAMAS DE SAÚDE FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA ANÁLISE DE CIRCUITOS E INSTRUMENTAÇÃO 1 ARTES EDUCAÇÃO FÍSICA PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS HISTÓRIA GEOGRAFIA FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA ANÁLISE DE CIRCUITOS E INSTRUMENTAÇÃO 2 ELETRÔNICA BÁSICA PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS HISTÓRIA GEOGRAFIA FÍSICA QUÍMICA MATEMÁTICA TELEFONIA 1 PRINCÍPIOS DE TELECOMUNICAÇÕES PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS HISTÓRIA GEOGRAFIA TELEFONIA 2 RADIOTRANSMISSÃO ELETRÔNICA
APLICADA
REDES DE COMPUTADORES PORTUGUÊS
400 CIÊNCIAS HUMANAS HISTÓRIA GEOGRAFIA ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES COMUNICAÇÕES MÓVEIS INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE TELEFONIA IP PORTUGUÊS



01/06/17 - Socialização e modificações finais do novo PPC 2017-2 e suas respectivas ementas

Pauta
  1. Informes
  1. Aprovação do novo PPC no conselho de ensino;
  2. Finalização do ciclo de reestruturação do curso: 2017-2 deverá se iniciar novo ciclo com novo coordenador dos trabalhos;
  3. Socialização com a comissão.
  1. Discussão sobre a implantação do novo PPC aprovado pelo CCE em 2018/1.
  • Ausência da discussão mais ampla nas áreas;
  • Implicações das mudanças da nova grade;
  • Impacto na distribuição da carga horária e coordenação do curso em a partir de 2018-1.
Encaminhamentos
  1. A comissão para 2017-2 deverá ter um novo coordenador para início dos trabalhos de reestruturação;
  2. Foi solicitado para os membros revisarem as ementas e preencherem os campos faltantes no link até 06/06. Como sugestão do coordenador os membros podem realizar o preenchimento consultando professores de aproximação forte com as disciplinas e um email será enviado para convidando os membros da comissão e outros professores com experiência em cada componente curricular.



Comissões 2016

Comissão 2016-1

  • Membros da Área de Telecomunicações
  • Jorge Henrique Busatto Casagrande (coordenador)
  • Diego da Silva de Medeiros
  • Cleber Jorge Amaral
  • Ramon Mayor Martins
  • Membros da Área de Cultura Geral
  • Alexandre Sardá Vieira
  • Viviane Dávila Hendeinreich
  • Elenira Vieira Vilela
  • Volmir Von Dentz
  • Joce Mary Mello Miotto
  • Karine Pereira Goss
  • Julie Cristiane Teixiera Davet (a partir de 2016-2)
  • Membro da Coordenadoria Pedagógica
  • Fernanda Carolina Dias Tristão

DIÁRIO DE BORDO DOS ENCONTROS

26/04/16 - Encontro do coordenador da comissão com a Cultura Geral

  • A coordenação apresentou um cenário dos problemas internos que precisam ser atenuados especialmente nas disciplinas técnicas e na relação CG e COTEL - O resumo da participação foi guiado pelo slides apresentados como um item de pauta na reunião da CG.

09/06/16 - Alinhamento da metodologia e busca da continuidade dos trabalhos da comissão

  • Pauta
  • Retomar questões importantes para nortear decisões sobre o futuro do curso;
  • Após apresentação dos slides, foram encaminhados os seguintes pontos:
  • Direcionar as discussões pautadas nas legislações competentes;
  • Usar o PPC atual como uma das bases para a reestruturação;
  • Recuperar todo o trabalho da comissão antes do congelamento por conta da harmonização;
  • Definir uma metodologia de reestruturação que começa com a análise dos egressos e termina com a nova formação curricular.

23/06/16 - Apresentação de dados dos ingressos e desempenho em disciplinas técnica. Criação da subcomissão

  • Pauta

1) Informes - Apresentação de dados de alunos ingressos e de seu desempenho em disciplinas técnicas;
2) Criação da subcomissão para tratar de ajustes das disciplinas técnicas e conteúdos programáticos;
3) Resumo das ações anteriores da comissão, definição da metodologia e alinhamento da reestruturação baseada no PPC atual;

Encaminhamentos:

  • Para o próximo encontro apresentar dados de alunos ingressos e de seu desempenho em disciplinas da cultura geral;
  • Criada a subcomissão para reestruturação do plano de ensino de disciplinas técnicas: Cleber, Diego, Jorge e Ramon;
  • A comissão segue os trabalhos usando como base da reestruturação do curso, a Base Nacional Comum Curricular como foi sugerido pela apresentação do servidor Pacheco à todos os membros de todas as comissões, em reunião anterior no mesmo dia as 13:30h. Todo o trabalho realizado pela comissão anterior estará sendo resgatado para os próximos encontros, bem como toda a legislação relacionada da comissão anterior como a RDP, o PPC, organização didática, a LDB, especialmente nos seus artigos 2,26, 27, 35 e 39 e a resolução 06/2012 do CNE em especial nos seus artigos 3, 6, 12, 13, 15, 16, 19 e 26 à 32 e seus pareceres. Como sugestão dada pelo Pacheco, é interessante a comissão encontrar uma agenda comum entre toda a legislação que consiga resolver os problemas internos já identificados na gestão dos cursos técnicos.

Comissão 2016-2

  • Membros da Área de Telecomunicações
  • Jorge Henrique Busatto Casagrande (coordenador)
  • Diego da Silva de Medeiros
  • Cleber Jorge Amaral
  • Ramon Mayor Martins
  • Membros da Área de Cultura Geral
  • Alexandre Sardá Vieira
  • Viviane Dávila Hendeinreich
  • Volmir Von Dentz
  • Joce Mary Mello Miotto
  • Karine Pereira Goss
  • Julie Cristiane Teixiera Davet
  • Membro da Coordenadoria Pedagógica
  • Fernanda Carolina Dias Tristão

DIÁRIO DE BORDO DOS ENCONTROS

14/09/16 - Início dos trabalhos de 2016-2: Execução dos encaminhamentos de 2016-1

Pauta
  1. Informes;
  2. Apresentação do desempenho das disciplinas da cultura geral (Fernanda);
  3. Estratégias para a construção do novo PPC do curso;
  4. Metodologias para avaliação e execução das mudanças do curso.
Informes
  • A pró-reitoria liberou os campi para realizarem suas mudanças particulares no PPC;
  • Encaminhamentos da subcomissão:
Apresentação do desempenho das disciplinas da cultura geral (Fernanda);

Os Arquivo:Dados integrado.odp de aprovados e reprovados foram apresentados pela Fernanda, que em síntese não revela problemas destacados em disciplinas da CG.

Metodologias para construção do novo PPC
  1. Métricas básicas para nortear a construção:
    • Prazo final para construir o documento: antes de abril/17 (até o próximo edital - verificar com CEPE) para efeito em 2017-2;
    • Período do Curso: 4 anos;
    • Legislação e material de apoio atual: Trabalho das comissões até aqui, RDP, o PPC atual, organização didática, a LDB, especialmente nos seus artigos 2,26, 27, 35 e 39 e a resolução 06/2012 do CNE em especial nos seus artigos 3, 6, 12, 13, 15, 16, 19 e 26 à 32 e seus pareceres;
    • Mudanças que envolvem as disciplinas da Cultura Geral precisam ser alinhadas a comissão de reestruturação de RAC;
  2. Durante os encontros semanais da comissão, além das correções realizadas mudanças vão sendo propostas. Até final do semestre, ou início do próximo, deverá ser feita uma reunião exclusiva para efetivar ou não as proposições feitas ao longo do semestre;
  3. O coordenador da comissão de reestruturação de RAC será convidado a participar dos encontros em momentos oportunos visando alinhar pontos em comum das disciplinas da Cultura Geral com os dois cursos.
  4. A comissão decidiu usar o próprio PPC para nele já realizar as mudanças gradativamente a cada encontro, baseadas nas sugestões do grupo, ou seja, desconectados inicialmente de detalhes da legislação vigente. No entanto de forma paralela, todo trabalho das comissões anteriores, incluindo a de harmonização e novidades sobre o tema, serão levados em consideração durante esse processo de reescrita.
Estratégias para a construção do novo PPC do curso.
  • Avaliar o quão a execução do PPC atual está do que foi planejado;
  • Incluir as mudanças parciais feitas pela subcomissão;
  • Criar um quadro de registro para destacar as principais mudanças.
    • Como tarefa para o próximo encontro em 21/09/16, todos os membros da comissão devem ler atentamente o PPC atual do curso, anotando e trazendo para o grupo sugestões de mudanças a luz de sua concepção do "cenário ideal" para o novo PPC;


21/09/16 - Leitura inicial do PPC atual do curso

Pauta
  1. Correções iniciais do novo PPC;
  • Contribuição do professor Alexandre Sardá: Lei 11645/2008 que rege sobre curriculo e temáticas afro brasileiras.
  1. Encaminhamentos
  • Serão registrados no quadro de propostas de mudanças do PPC os principais pontos discutidos em cada encontro que merecem participar da reestruturação;
  • Analisando a lei 11645/2008 e o testemunho dos professores da cultura geral, concluiu-se que as temáticas não estão contidas nas ementas atuais e deverão ser colocadas na próxima versão do PPC, mesmo que como tema transversal;
  • Dentre as várias possibilidades de se iniciar a discussão para as prováveis modificações e/ou adaptações do novo PPC, a figura 9 do PPC atual do curso será o ponto inicial das discussões: Essa figura resume as ações integrativas previstas no planejamento do curso. Nos primeiros semestres houve uma tentativa dos professores em executar da forma originalmente proposta mas ao longo do tempo a estratégia perdeu força, dando lugar a abordagem tradicional no processo de ensino onde cada professor de cada disciplina seguiu seu planejamento isolado. Para o próximo encontro ficou definido que todos os membros devem estudar atentamente esta seção do PPC para propor estratégias que retomem a ideia original para que seja aplicada nos próximos semestres.

Figura9PPC.png

28/09/16 - Discussão sobre as ações integrativas do PPC atual

Pauta
  1. O que muda no trabalho da comissão em função da MP 746/2016;
  2. Discussão sobre as ações integrativas do PPC atual.
Encaminhamentos

26/10/16 - Continuação da discussão sobre as ações integrativas do PPC atual

Pauta
  1. Discussão sobre as ações integrativas do PPC atual.
Encaminhamentos

14/12/16 - Continuação da discussão sobre as ações integrativas do PPC atual

Pauta
  1. Discussão sobre as ações integrativas do PPC atual.
Encaminhamentos
  1. Definir coordenadores por projeto anual;
  2. Todos os professores das fases e coordenação 2HA no PSAD;
  3. Antecipar ações nos encontros pedagógicos para 2017-1;
  4. Fazer um primeiro encontro na semana do planejamento para a socialização;
  5. Atividades integrativas nas fases ímpares e Projeto Integrador nas fases pares;
  6. Redigir documentos de Diretrizes da implementação das ações integrativas.
Subcomissão 2016-1

Subcomissão 2016-1

  • Membros da Área de Telecomunicações
  • Jorge Henrique Busatto Casagrande (coordenador)
  • Diego da Silva de Medeiros
  • Cleber Jorge Amaral
  • Ramon Mayor Martins
  • Membro da Coordenadoria Pedagógica
  • Fernanda Carolina Dias Tristão

DIÁRIO DE BORDO DOS ENCONTROS DA SUBCOMISSÃO

25/07/16 - subcomissão para tratar de ajustes das disciplinas técnicas e conteúdos programáticos - parte 3

  • Projeto Integrador deve começar na fase 7 conforme prevê o PPC atual com o núcleo e tema transversal do projeto planejado pelos professores das fases 7 e 8;
  • Feira para 2017-1 pelo menos;
  • Avaliar mudanças na inversão de CAB por RCO;
  • Refinamentos das disciplinas:

Redes de Computadores

  • evolução do estudo botton-up;
  • colocar redes de comp. formadas a partir de hubs;
  • switches, topologias e arquiteturas focando a parte física;
  • camada de enlace e redes MAN/WAN, protocolos;
  • camada de rede e roteamento IPV4 e CIDR; Protocolo IP - UDP/TCP
  • aplicações: mapas de protocolos e projeto final programação HTML/PHP/Serviços/comunicação de processos.

ICO

  • telecom surgiu pela necessidade de comunicação do ser humano (Paulo Freire Based ;-) )
  • circuitos e eletrônica A/D
  • conteúdos básicos baseados em experimentos discutidos ao final;
  • alunos produzem seus próprios vídeos - publicações na wiki ou moodle;
  • pelo menos uma visita técnica programada em empresas locais;
  • adotar medidor de barras em todas as disciplinas;
  • prever dois ambientes pelo menos (dois labs usados ao longo do semestre);
  • conteúdos esperados da ementa:
    • Princípios e Problemas da Tansmissão: cobre, rádio, teledifusão, óptica, satélite, ruídos;
    • Telefonia e móveis: Telefonia básica e comutada, móveis e células;
    • Redes de Computadores: Partes de PCs (interfaces), conhecer/instalar eqtos, traceroute map;
    • princípios de telecom: explorar dB, processamento de sinais.

ELD

  • teoria: sistemas de numeração bases 2,10,16; forma de conversão elementar; bit, byte, múltiplos; diagramas de tempo; multímetro; circuito elétrico; LED
  • portas lógicas - criar problemas como semáforo etc;
  • circuitos combinacionais; códigos e experimentos com comunicação visual;
  • circuitos sequenciais e comunicação síncrona/assíncrona com fio;
  • práticas com datapool;
  • projeto final com arduino - robocode como inspiração.


04/07/16 - subcomissão para tratar de ajustes das disciplinas técnicas e conteúdos programáticos - parte 2

Dando continuidade ao trabalho iniciado na semana passada, foram levantadas algumas propostas para rever as ementas das principais disciplinas afetadas:

ICO - Visão geral de Telecom desde sua função na sociedade

  • As variações de formas de comunicação à distância com vários desafios envolvendo comunicação sem visual;
  • Códigos elementares históricos como o morse;
  • Transmissão de luz via fibra óptica (meios guiados);
  • Sistema Telefônico: do copo à Gran Bell e a comunicações móveis;
  • Rádiotransmissão: Recepção de ondas curtas e transmissão FM;
  • Redes de Computadores;
  • TV e CFTV ?

ELD

  • Entender s funções lógicas elementares;
  • Transmissão de sinal binário entre comunicantes (uso de luz e infravermelho);
  • Arquitetura de hardware de computadores;
  • Arduíno?

REDES

  • Simulação de comunicação com protocolos (ICO?);
  • Implementação de Games como batalha naval;
  • Comandos básicos do Linux;
  • Wireshark.


24/06/16 - subcomissão para tratar de ajustes das disciplinas técnicas e conteúdos programáticos - parte 1

Conforme encaminhado na reunião da comissão de reestruturação do curso integrado de telecomunicações de hoje, gostaria de iniciar os trabalhos da subcomissão de reestruturação do plano de ensino das disciplinas técnicas do curso integrado. Observando o horário dos colegas entendo que amanhã sexta-feira (24/06) às 17:30h seria adequado. Caso exista algum impedimento, por favor me informem. Para o encontro precisamos planejar e registrar na página da wiki da comissão os seguintes pontos:

  • Disciplinas afetadas (para 2016-2 e seguintes);
  • Plano de atendimento das pendências;
  • Agenda do trabalho previsto da subcomissão;
  • Quadro comparativo do plano de ensino atual da disciplina com o novo proposto;
  • Plano de ensino semanal para todo o semestre;
  • Sugestão de docentes para ministrar os novos conteúdos;
  • Outros assuntos sugeridos pela comissão.

A meta para esse trabalho ficar pronto é até 08/08/16 para que as mudanças já possam ser efetivadas ainda em 2016-2.

ICO60801

As discussões estão sendo feitas no documento online [https://docs.google.com/document/d/1I2oxNfu3Eu6jWwwkUvFJdX-m7Ejjqc1yOWrPRPR2_H8/edit?usp=sharing (Link

Ata resumida do encontro

Algumas condições e restrições foram avaliadas para consolidar as mudanças para evitar mudanças significativas que venham inviabilizar a aprovação da reestruturação, pois mudanças muito grandes exigem um forum de discussão maior :

  • Manter a mesma grade de pirâmide técnica;
  • Diego relatou que a reestruturação desse curso que se arrasta até aqui, sempre foi iniciativa da coordenação;
  • Disciplinas afetadas:

- ICO = mudar completamente a estratégia pedagógica e emntário; - ELD = menos teórica e incluir exemplos do mundo real; - REDES = precisa ficar mais para o fim do curso (troca com CAB?) - ITE/ANC1 - ELB/ANC2 = deveriam ser tratadas como disciplina única para manter sincronismo e ralação total;

  • Apresentar o projeto da oitava fase para todas as fases;
  • Reuniões da subcomissão nas segundas às 18:00h.
Comissão atuante até 2015

Comissão atuante até 2015

  • Membros da Área de Telecomunicações
  • Diego da Silva de Medeiros (Presidente)
  • Alexandre Moreira
  • Marcelo Maia Sobral
  • Rubem Toledo Bergamo
  • Ederson Torresini
  • Membros da Área de Cultura Geral
  • Alexandre Sardá Vieira
  • Julie Cristiane Davet
  • Marcio Eli Osório
  • Membro da Coordenadoria Pedagógica
  • Fernanda Carolina Dias Tristão

Horário das reuniões:

Foi construída uma planilha para definir os horários das reuniões, e é acessada pelo Link. Como Não houve acordo de horário em nenhuma janela de horário (dos 6 que responderam, o máximo de acordos foi de 5 membros) a reunião será realizada nas quartas-feiras, às 11:30, a menos que a convocação diga o contrário.

Encaminhamentos da Reestruturação

Propostas de Mudanças para o novo PPC 2017-2 a partir da comissão de 2016

14/09/16
  1. Formalizar o papel e atribuições de professores Regentes por fase;
21/09/16
  1. incluir em alguma ementa as temáticas afro brasileiras previstas na Lei 11645/2008;
06/04/17
  1. alterações do PPC atual usando o formulario do CEPE: as mudanças da ementa de ICO e o nome dela; rediscutir posicionamento de REDES na terceira fase; incluir as ementas de todas as disciplinas; trocar o nome dos componentes curriculares ciências humanas por filosofia e sociologia.
27/04/17
  1. Duplicar a carga horária de inglês da terceira fase para 40h herdando as 20h da carga horária de Artes e da mesma forma duplica-se a carga horária de Artes para 40h na quarta fase herdando as 20h da carga horária de Inglês;
  2. Encontrar alguma solução similar para concentração de carga horária para 40h para outros componentes curriculares como história, geografia e português;
  3. Fusão das disciplinas de Análise de circuitos 1 (ANC1) e Instrumentação Eletrônica da quarta fase em um único componente curricular chamado Análise de Circuitos e Instrumentação (ANC1???);
  4. Em função da nova ementa do curso, a comissão decide alterar o nome da disciplina de Introdução à Computação para Introdução à Telecomunicações (ITL)


Informações sobre o curso

Legislação

Incluir aqui as leis que regem a construção do currículo do curso. São pontos a serem verificados:

Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos (CNCT)

Desenvolve programas de computador, seguindo as especificações e paradigmas da lógica de programação e das linguagens de programação. Utiliza ambientes de desenvolvimento de sistemas, sistemas operacionais e banco de dados. Realiza testes de programas de computador, mantendo registros que possibilitem análises e refinamento dos resultados. Executa manutenção de programas de computadores implantados.
Desenvolve programas de computador para internet, seguindo as especificações e paradigmas da lógica de programação e das linguagens de programação. Utiliza ferramentas de desenvolvimento de sistemas, para construir soluções que auxiliam o processo de criação de interfaces e aplicativos empregados no comércio e marketing eletrônicos. Desenvolve e realiza a manutenção de sites e portais na internet e na intranet.
Instala e configura dispositivos de comunicação digital e programas de computadores em equipamentos de rede. Executa diagnóstico e corrige falhas em redes de computadores. Prepara, instala e mantém cabeamentos de redes. Configura acessos de usuários em redes de computadores. Configura serviços de rede, tais como firewall, servidores web, correio eletrônico, servidores de notícias. Implementa recursos de segurança em redes de computadores.
Participa da elaboração de projetos, realiza instalação, operação e manutenção de sistemas de telefonia fixa e móvel, atuando na prestação de serviços, assistência técnica, elaboração e treinamento de documentação técnica de sistemas de comutação.
Atua no dimensionamento, instalação, operação e manutenção de equipamentos de telecomunicações e telemática, sobretudo nos meios de transmissão, sejam eles por fibras ópticas, cabos metálicos ou via rádio. Pode ainda atuar na prestação de serviços, assistência técnica, treinamento e elaboração de documentação técnica de sistemas de transmissão.
Participa da elaboração de projetos de telecomunicação. Atua na instalação, operação e manutenção de sistemas de telecomunicações e de telemática. Supervisiona os procedimentos adotados nos serviços de comunicações, atendendo a regulamentação específica.

Referências

Perfil do Técnico em Telecomunicações

Este texto foi retirado da proposta de Reestruturação do Curso Técnico Subsequente de Telecomunicações do IFSC-SJ.

Pesquisa

Com o objetivo de conhecer o perfil da demanda por técnicos em telecomunicações, a comissão de reestruturação do currículo encaminhou uma pesquisa para conhecer a opinião das principais empresas de Telecomunicações, da Grande Florianópolis. Neste sentido, foi realizado um contato com com a Vertical Telecomunicações, organização interna da ACATE (Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia), que organizou uma reunião com 15 empresas da região. A pesquisa foi realizada através de um questionário e debate comentado. Também responderam ao questionário cinco empresas que enviaram as resposta via on-line, o que totalizou 20 empresas respondentes.

Perfil de atuação

Perfil do Técnico em Telecomunicações segundo empresas.

Foi enfatizado que o técnico atualmente deve trabalhar com soluções integradas, envolvendo a instalação física de cabeamento e equipamentos, instalação e configuração de sistemas operacionais e de acesso a rede, resolução de problemas de conectividade, instalação e testes de sistemas específicos (servidores VoIP, etc). As redes de telecomunicações hoje são convergentes envolvendo telefonia e dados.

Na reunião com a Vertical Telecom da ACATE foi identificado três perfis para atuação do técnico de telecomunicações, ilustrados na figura ao lado:

  • Trabalho de campo: Na concepção das empresas, o técnico deve ter uma visão do sistema como um todo e seus blocos constituintes. Por exemplo, um sistema de um provedor de acesso e serviços de telecomunicações (sistemas VoIP, IPTV, provedor de acesso etc). O técnico deve visualizar o sistema e os serviços disponibilizados ao cliente, a rede de acesso, os equipamentos necessários, os requisitos de energia e possíveis interferências, dispositivos de proteção, etc. Além do que, o técnico deve realizar a instalação física dos equipamentos e cabeamento. Realizar a configuração física e lógica dos equipamentos. Conhecimento da rede elétrica, aterramento e interferências, redes lógicas. Conhecer diferentes tecnologias de acesso, como HPNA, ADSL, FFTH, WDM, etc.
  • Trabalho de configuração lógica, operação e manutenção de sistemas: Instalação, configuração, administração, operação e manutenção dos sistemas lógicos. Configuração de redes, incluindo endereçamento IP, redes locais, segmentação de redes e redes virtuais, etc. Uso de aplicativos de acesso remoto, ferramentas para teste de conectividade e análise de tráfego como ping, traceroute, tcpdump, wireshark, etc. Conhecimento de Linux. Dar suporte técnico a distância para técnicos de campo ou usuários.
  • Trabalho de bancada e projetistas: Devem conhecer os equipamentos por dentro. Perfil mais voltado ao tecnólogo, pessoal de nível superior ou técnicos de eletrônica.

As empresas destacaram as certificações, que muitas vezes são colocadas como pré-requisitos para a contratação de técnicos, como a Norma NR10 que envolve procedimentos para as atividades relacionadas às rede elétrica, ao cabeamento interno e à rede externa de telecomunicações, as certificações Furukawa para cabeamento, os Sistemas Linux, as certificações Cisco, etc.

Foi destacado que os provedores hoje fornecem serviços integrados, dados, voz, TV, e a forma de acesso envolvem diferentes tecnologias, como ADSL, redes de fibra óptica, redes PON, etc. O projeto da rede envolve ativos internos (cabeamento estruturado, armários, etc) e ativos externos (posteamento, conectores, etc).

Conhecimentos necessários para o técnico de telecomunicações segundo as empresas

  • Eletricidade e eletrotécnica: No trabalho de instalação de uma rede em campo, é imprescindível para o técnico conhecer sobre energia elétrica, básico de eletrotécnica, sistemas de proteção e aterramento, nobreak, filtros de linha, etc. Problemas elétricos na rede são importantes que o técnico saiba tratar, separando a rede de energia e cabeamento. Proteção e curto circuito
  • Eletrônica analógica: Sobre os conhecimentos de eletrônica, comentou-se sobre o conhecimento fundamental que o técnico deve ter em identificar os blocos que formam um equipamento ou circuito, como por exemplo, a entrada de energia, o bloco da fonte de alimentação, a entrada e saída de dados, o circuito principal do equipamento, etc. Além do que, é imprescindível saber manusear equipamentos de teste e medida, como multímetros e osciloscópios. Realizar medidas na pinagem dos CI, analisando-os como caixa preta, identificar sinais, forma de onda, etc. Não há mais necessidade de análise de circuitos a diodo e transistor, isto seria papel para o técnico de eletrônica e não de telecomunicações.
  • Eletrônica digital: As empresas ressaltaram que é importante o sistema binário, sinais digitais e frequência de relógio. Não há necessidade de detalhamento dos circuitos digitais discretos. Comunicação serial.
  • Redes de computadores: No trabalho junto a equipes de suporte é fundamental conhecimentos sobre redes, protocolos TCP/IP, redes Ethernet, sistemas operacionais, equipamentos de rede como switches e roteadores, protocolo spanning tree, inserção de equipamentos na estrutura já operando, segmentação da rede e virtualização, uso de aplicativos para teste de conectividade como ping e traceroute. Ferramentas de gerenciamento de redes, SNMP. Foi enfatizado que o técnico deve atuar mais na prática que na teoria. Sobre os protocolos TCP/IP o fundamental é o conhecimento prático sobre endereçamento IP, divisão em subredes, noção sobre roteamento, função dos protocolos, análise de pacotes, etc. As empresas também salientaram sobre a importância da questão da segurança de acesso aos sistemas, como redes sem fio, vlans, segmentação de portas, etc.
  • Informática: Conhecimento aprofundado do Linux, atualizações, pacotes, grupos de suporte, etc. Ferramentas de acesso remoto. Conexão pela serial de equipamentos, etc.
  • Programação: No que se refere à permanência da disciplina de Programação no currículo, as empresas pesquisadas comentaram que esta área de conhecimento “assusta os alunos” que procuram este curso. No entanto, consideram importante o raciocínio lógico para resolução de problemas. Foi questionado sobre conhecimento de programação para Web. Na reunião com a Vertical Telecom, as empresas mencionaram que poderia ser interessante. Na entrevista com a DataCom, que trabalha com desenvolvimento de software, acham que não cabe programação para o técnico de telecomunicações. Esta seria uma função para programador. Para apoio ao trabalho do técnico de telecomunicações acreditam que realizar scripts, ou programação em pyton ou lua seria mais interessante.
  • Telefonia: Entender o que é o sistema e sua função, sem detalhes. Ideia de tronco digital e analógico, E1, FXO e SIP, sem entrar no detalhe. Foco na telefonia IP, Asterisk e SIP.
  • Ética e postura profissional: Consideram importante o relacionamento e a comunicação do técnico com os clientes. Como se comportar, pois quando um técnico fala com um cliente ele está representando a empresa e, portanto, necessita de um treinamento comercial. A Acate se predispôs a realizar palestras com os futuros técnicos ou recebê-los em visitas técnicas.
  • Português e Inglês: A confecção de relatórios também é importante e frequente, assim como realizar a explicação de um problema por escrito ou por e-mail. Na visão das empresas, os técnicos devem dominar a leitura de manuais em inglês, pois é uma atividade frequente, seja do funcionamento de sistemas ou folha de dados de componentes.

Áreas de atuação do egresso

Em termos de demanda por profissionais da área de telecomunicações, ressalta-se que o Estado de Santa Catarina, e a região da Grande Florianópolis em particular, concentram diversas empresas que atuam na área de telecomunicações ou em áreas correlatas. São tanto empresas provedoras de serviços, como indústrias de equipamentos e provedores de soluções tecnológicas integradas para a área de telecomunicações.

Em 2011 a ACATE e a PMF – Prefeitura Municipal de Florianópolis – apresentaram o resultado de um estudo sobre o mapeamento de recursos humanos e cursos em TIC (tecnologia da informação e comunicação) na cidade de Florianópolis – SC, mostrando um pouco sobre as características do setor na região da Grande Florianópolis. A cidade de Florianópolis conta atualmente com aproximadamente 550 empresas no setor de TIC. Isto demonstra o potencial de absorção de recursos humanos formados na região.

No Brasil, no ano de 2006 o IBGE realizou um estudo intitulado “O Setor da Tecnologia da Informação e Comunicação no Brasil 2003 – 2006”, o qual mostra a evolução do setor de TIC no Brasil neste período. Este estudo mostra a tendência de crescimento deste setor, tanto do ponto de vista da quantidade de empresas, quantidade de oferta de postos de trabalho, faturamento e valor adicionado / valor da transformação industrial. Também fica evidenciado a concentração desta indústria na região Sudeste, onde se concentram a maioria dos cursos na área de TIC. Mas mostra que a contribuição da região Sul também é relevante e esta tem uma baixa concentração de cursos de TIC, resultando em uma escassez de profissionais qualificados para atuar neste setor.

Atuando no contexto da Grande Florianópolis, o Campus São José do IF- SC vem oferecendo curso Técnico em Telecomunicações desde 1988, Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações desde 2004 e Engenharia de Telecomunicações desde 2012. Indústrias de referência da área de telecomunicações, como a Intelbras e Digitro, localizadas nas imediações do Campus São José, e outras, muito tem se beneficiado dos profissionais formados pelo IFSC. Assim, esta proposta de reestruturação do Curso Técnico vem no sentido de aprimorar a qualidade de oferta e consolidar o papel no técnico de nível médio no contexto da cadeia de formação de recursos humanos para setor da tecnologia da informação e comunicação em nossa região.

Problemas detectados

Aqui estão listados os problemas detectados no curso. Os eventos abaixo foram usados como embasamento:

  • Consulta aos alunos

Foi realizada consulta aos alunos das últimas fases do curso, no dia 05/12/2013 no auditório. O objetivo da consulta foi conhecer os principais problemas diagnosticados pelos alunos. Estavam presentes as duas oitavas fases formadas em 2013-2 (Ingresso em 2010-1) e a sexta fase (ingresso em 2011-1).

As seções abaixo descrevem os problemas encontrados.

Problemas na distribuição das disciplinas na grade

Redes de computadores

As disciplinas da área de redes de computadores estão muito afastadas entre si, dificultando o andamento:

Telefonia

As disciplinas da área de telefonia talvez possam sofrer uma redução de carga-horária.

Circuitos

Existem disciplinas dependentes na mesma fase, de forma que um desparelhamento no cronograma dos professores causa dificuldades de aprendizagem. Houve opiniões contrárias à essa tanto dos alunos quanto dos professores.

Outro ponto questionado foi a necessidade da alta carga-horária das disciplinas de circuitos, embora esta ideia tenha sido questionada por outros alunos. São da área de circuitos:

Educação Física

Foi questionada a carga-horária da disciplina de Educação Física, pois contando a sua distribuição ao longo das fases 1ª à 4ª, a carga-horária total é de 160h.

Multimídias

Faltou no curso trabalhar com mídias analógicas e digitais. É necessário que o aluno tenha uma visão de como são formadas as imagens, os vídeos e os sons analógicos e digitais.

Matemática e Física

É necessário aumentar a carga-horária das disciplinas de matemática e física, já que elas são pré-requisitos para muitas outras disciplinas do curso.

Disciplinas da 1ª fase

A primeira fase atual traz apenas uma disciplina técnica ( ICO), e muito voltada à área de informática. É preciso ter uma disciplina (ou mais de uma) com maior carga-horária e maior dificuldade, com o objetivo de dar uma melhor visão do que é a área de telecomunicações. Isso evitaria os alunos que vão "empurrando o curso com a barriga".

Disciplinas da 8ª fase

A oitava fase possui uma carga muito alta de disciplinas técnicas, com elevado grau de dificuldade. Isto dificulta o acompanhamento dos alunos, que muitas vezes já estão se preparando para o vestibular em cursinhos.

Indicações do MEC

O MEC traz algumas indicações de currículo, que incluem Filosofia, Sociologia, Espanhol, etc. O curso irá respeitar os requisitos do MEC?

Falta de integração entre as disciplinas

Os alunos não enxergam nenhuma integração entre as disciplinas. Muitas vezes ocorrem problemas devido à falta de integração em disciplinas com conteúdos dependentes. Foi falado na reunião que de certa forma há uma integração entre as disciplinas dos cursos, dado que a grade da cultura geral é diferente de Tele para RAC. Este é um ponto bastante criticado.

  • São possíveis soluções:
  • Criação de disciplinas de Projetos Integradores
  • Estabelecimento de um professor responsável pela integração entre as disciplinas de uma fase.

Problemas de implementação

Aulas divididas

Aulas de laboratório deveriam ser divididas entre as disciplinas técnicas, e não com disciplinas da cultura geral.

Falta de motivação

Perfil do ingresso

Os alunos ingressantes no curso atual são diferentes dos alunos ingressantes no curso antigo, dos anos 90. Os alunos agora já vem com anseio de fazer um curso superior após o ensino médio, de forma que poucos vão exercer a profissão imediatamente após a conclusão do curso. Assim, o fato do aluno "já sair do curso com uma profissão" não é mais tão útil quanto antes.

Outros fatores

Também relacionado ao perfil do ingresso, os professores das disciplinas técnicas têm detectado que os alunos estão muito desmotivados.

  • Sugestões:
  • Disciplinas mais relacionadas ao curso (mais interessantes) no início, servindo de filtro
  • Visitas técnicas (estabelecer um plano de visitas técnicas anual?)

Foi sinalizada a questão da pobre divulgação do curso, já que o grande público do curso é ainda voltado ao ensino médio.

Outros problemas

Prática

Alunos apontaram a falta de disciplinas práticas no curso.

Atualização do conteúdo

Alunos apontaram a defasagem dos conteúdos.

Senso crítico/ceticismo

Exemplo de informação que necessita de senso crítico.

Há situações onde alunos formados não tem o mínimo de senso crítico e ceticismo, em assuntos relacionados ou não à área de formação. O profissional formado no IFSC precisa estar ciente que nem tudo que aparece na mídia é verdade.

Física moderna

Houve num ensino médio anterior oferecido pelo IFSC a disciplina de Física Moderna. O professor Jair falava sobre os tópicos em recente discussão na física, o aguçando a curiosidade e aumentando o interesse dos alunos pelas ciências exatas. Uma abordagem semelhante poderia ser feita no Integrado de Telecomunições.

Idéias

Curso noturno

Foi discutida a possibilidade de ser oferecido um curso integrado noturno. Este curso teria um público diferente, mas poderia acabar com alguns problemas:

  • Choque de horário de pendências com a turma regular
  • Ociosidade da escola no período noturno

Questões do DEPE

Aulas estendidas

Este assunto foi encerrado em reunião do DEPE. Foi decidido que o curso continuará no modelo atual, com aulas em um único turno e duração de 4 anos


Tabela de horas adicionais nas propostas de extensão de CH.

Links:


Foi discutida com o DEPE a possibilidade de um turno estendido com relação ao atual, visando sanar alguns problemas:

  • Exigências do MEC de disciplinas como Filosofia, Sociologia, etc
  • Aumento da carga-horária das disciplinas técnicas

São requisitos do MEC:

  • Inclusão de Filosofia em todos os semestres, ainda que com carga-horária de 20h
  • Inclusão de Sociologia em todos os semestres, ainda que com carga-horária de 20h
  • Possibilidade do aluno optar por Espanhol ao invés de Inglês


Pensando nisso, foram criadas 4 propostas:

  • Manter do jeito que está
  • Estender a aula em 30 minutos (das 7:30 às 12:00), com 5 aulas de 50 minutos e um intervalo de 20 minutos.
  • Estender a aula em 50 minutos (das 7:30 às 12:20), com 6 aulas de 45 minutos e um intervalo de 20 minutos.
  • Estender a aula em 55 minutos (das 7:30 às 12:25), com 5 aulas de 55 minutos e um intervalo de 20 minutos.

Todas as propostas são suficientes para acrescentar as disciplinas obrigatórias do MEC, inclusive com possibilidade de redução do semestre. Para isto porém, é necessário alterar o artigo 67 da RDP, que fixa a ?duração das aulas em 4 aulas de 55 minutos. A capacidade das salas de aula estarão dependentes da escolha entre 3 ou 4 anos.

Estas conclusões estão disponíveis nesta Planilha.