Telefonia 1ii

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Telefonia 1 2013-1

Semestre 2013-1

Aula do dia 14 de fevereiro de 2013

  • Apresentação da turma.
  • Levantamento das atividades desenvolvidas.
  • Proposta de planejamento.

Aula do dia 15 de fevereiro

  • Tráfego Telefônico

Referências:

Um pouco sobre A. K. Erlang

Apostila: item 5.5

Livro Sistemas Telefônicos (Jeszensky): capítulo 3

Livro Digital Telephony (Bellamy): capítulo 12

Introdução

Análise de Tráfego: prover métodos para dimensionar o sistema a fim de obter a maior eficiência em termos de custos e serviços.

Tráfego: somatória de todas a solicitações atendidas pela rede.

As solicitações de serviço tem natureza aleatória e duração imprevisível. É, portanto, necessário caracterizar as solicitações de serviço e duração das chamadas de maneira probabilística.

A eficiência é medida pela quantidade de tráfego e pela frequência com que o volume de tráfego excede a capacidade do sistema.

Análise de Tráfego
Sistemas com perdas

Probabilidade de bloqueio.

Sistemas com filas

Probabilidade de atraso.

Ocupação de circuitos e unidades de medida de tráfego

Diagrama de ocupações

Distribuição das chamadas

Uma chamada não depende da outra.

Não há correlação entre as chamadas.

Distribuição exponencial: define a probabilidade de não acontecer nenhuma chamada no intervalo de tempo t.


Distribuição de Poisson: quantas chamadas podem acontecer em um intervalo de tempo t?

Duração das chamadas

Determina a probabilidade de N circuitos estarem ocupados em um instante para um tráfego A, considerando o tempo médio de duração das chamadas constante.

Nesse caso

Assim


Exemplo

Sistema com = 1 chamada por minuto, tm = 2 minutos e N circuitos.

Que porcentagem do tráfego ocupa os 5 primeiros circuitos?

Aula do dia 21 de fevereiro

Solução

O tŕafego demandado em Erlangs será

O tráfego escoado por i circutos ativos é i Erl.


Portanto o tráfego escoado pelos 5 primeiros circuitos será




Verifica-se que 94,5% do tráfego é escoado pelos 5 primeiros circuitos!

A que conclusão chegamos?

Sistemas com perdas
TLF2070315022013.jpg


Fórmula de Erlang-B

Exemplo

Sistema com 50 usuários e 5 linhas. Cada usuário faz 3 chamadas de 4 minutos na HMM. Determinar Pb.

Lista de exercícios

Lista Tráfego

Sistemas com filas

A fórmula de Erlang C é utilizada no estudo de sistemas com perdas e é utilizada para dimensionamento de recursos em qualquer sistema constituído por filas, inclusive em centrais de atendimento.


  • Um tutorial introdutório sobre dimensionamento de call centers:

CallCenter

  • Calculadoras Erlang:

Erlang

Aula do dia 22 de fevereiro

Dimensionamento de PABX.

O dimensionamento de um PABX envolve a especificação dos seguintes parâmetros;

- o número de enlaces, ou seja, o número de ligações simultâneas que o equipamento pode encaminhar.

- o número de linhas tronco que fazem a ligação com a central pública.

- o número de posições de operadoras (telefonistas) e os troncos de conexão com o PABX ou a central pública.

Etapa 1: definição do número e categoria dos ramais

Inicialmente é necessário definir quantos ramais o PABX deverá atender e a categoria de cada ramal.

Etapa 2: definição do número de enlaces

Determinar o número de enlaces significa calcular o número de ligaçõesque o equipamento poderá encaminhar simultaneamente. Para isso é necessário montar a matriz de tráfego do sistema, que mostra o número de ligações diárias.

MatrizdeLigações.jpg

Para converter os dados da tabela para a unidade de tráfego Erl é necessário calcular a duração média das chamadas internas, locais e interurbanas e considerar a concentração na hora de maior movimento (HMM).

Dessa forma a tabela pode ser expressa em Erlangs.

MatrizdeTráfego.jpg

O número de enlaces é determinado a partir do tráfego total da tabela considerando-se uma taxa de bloqueio e utilizando a fórmula de Erlang-B.

Etapa 3: definição do número de troncos

A partir dos dados da tabela de tráfego determina-se o número de troncos de conexão do PABX com a central pública. É importante considerar a expansão futura do sistema, com a possibilidade de se adicionar novos troncos.

Exemplo de dimensionamento

Dimensionar um PABX para os seguintes dados de tráfego diário:

a) 400 ligações ramal-ramal de 3 minutos cada;

b) 120 ligações locais para fixo de 5 minutos cada;

c) 50 ligações para móvel de 4 minutos cada;

d) 35 ligações interurbanas de 8 minutos cada.

Considerar uma concentração de tráfego de 30% na HMM.

Solução:

Aula do dia 23 de fevereiro Sábado

Exercícios.

Aula do dia 28 de fevereiro

Exercícios

Aula do dia 01 de março

  • Exercícios

Respostas dos exercícios:

1)

a) = 2/3 chamadas por minuto;

b) P2(1s) = 0,066%;

c) Pb = 10%;

d) Aperdido = 0,2 Erl;

e) A quarta linha fica ocupada 32,33% do tempo.


2)

P21 = 0,6%; P19 = 1,68%


3) Pb = 6,6%. Adesviado = 6,6% de 20 = 1,32 Erl.


4)

Com canais unidirecionais A = 11,76 Erl. Com canais bidirecionais A = 15,3 Erl.


5) Devem ser adicionadas 3 telefonistas.


6)

Tráfego interno

Ai = (500 x 40)/60 x 0,3 = 10 Erl.

Especificando Pb = 5% ~> N = 15 enlaces internos.

Tráfego externo é a soma das chamadas externas.

Ae = 15,5 Erl.

Especificando Pb = 5% ~> N = 18 troncos.


7)

a) Grupos de 22 (88/4) terminais com uma linha multiplexada (N canais) cada. Se cada terminal fica

ativo 10% do tempo, cada um gera 0,1 Erl.

Assim, A22 = 22 x 0,1 = 2,2 Erl.

Sendo Pb = 5% ~> N = 5 canais por linha.

Número total de canais será

Nt = 4 x N = 20 canais.

b) Um único grupo de 88 terminais.

A88 = 88 x o,1 = 8,8 Erlg.

Sendo Pb = 5% ~> N = 13 canais.

Conclusão: a melhor situação é quando todos os usuários compartilham todos os canais.

Aula do dia 07 de março

Avaliação

Aula do dia 08 de março

Correção da prova. Recuperação.

TLF2070308032013.jpg

Aula do dia 14 de março

Encerramento.

O tópico Sinalização CAS será visto em Telefonia 2 no semestre 2013-1.

Apostila CAS

Sinalização CAS

Aula do dia 15 de março

Recuperação prova tráfego Telefônico