Relatórios Anatel- Alunos

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Mensagem do Presidente

A estrutura da Anatel é composta por 27 unidades descentralizadas, uma em cada capital brasileira e no Distrito Federal. São os escritórios regionais e as unidades operacionais que realizam as atividades de fiscalização e são responsáveis pelo contato mais próximo da Agência com a sociedade, em todo o País. Na sequência serão apresentadas as principais realizações da Agência Nacional de Telecomunicações ao longo do exercício 2008.


Anatelnosestados.jpg
mencione a fonte da qual você extraíu as figuras. --Marcos Moecke 17:05, 9 Abril 2010 (BRT)

A Anatel concluiu, com êxito, 26 regulamentos previstos para o exercício e deu curso a demandas que ultrapassaram, em muito, as previsões. Foi previsto o licenciamento de 13,9 milhões de estações – o celular (terminal de serviço móvel pessoal) é considerado uma estação –, e encerrou o ano com o registro adicional de 29,8 milhões de licenças, ou 114% a mais que o projetado. Um dos motivos desse aumento no licenciamento é a utilização da tecnologia 3G por todas as prestadoras, pela ampliação das localidades atendidas e pelo estímulo de campanhas promocionais, que estimula a opção pelo usuário do plano mais conveniente.

Desempenho da Agência

Os resultados proporcionados pelos subsídios de capitais nacionais e estrangeiros juntamente com a eficácia regulatória deu voz e tirou milhões de brasileiros do isolamento. No momento em que começou a vigorar o atual modelo brasileiro das telecomunicações, pouco mais de 22 mil localidades contavam com telefonia fixa coletiva ou individual em todo o País. No final de 2008, as localidades atendidas somavam 36,9 mil e, dos 189,6 milhões de habitantes, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 158,5 milhões tinham disponíveis acessos coletivos ou individuais, ou ambos.

Nos dez anos de existência da Anatel, a credibilidade regulamentar aliada à estabilidade política e ao crescimento econômico, contribuíram para que a infraestrutura brasileira de telecomunicações ocupasse a 7ª posição no ranking mundial da telefonia fixa e a 5ª posição no segmento da telefonia móvel. A telefonia fixa está disponível em todos os 5.564 municípios brasileiros. Ao final de 2008 a planta de telefonia fixa somava mais de 41 milhões de acessos; a planta de telefonia de uso público (orelhões) era de 1,1 milhão de terminais; a planta de telefonia móvel superava os 150 milhões de acessos.

O avanço da banda larga evolui a passos seguros. No final de 2008 o Serviço de Comunicação Multimídia somava 11,4 milhões de acessos em banda larga, confirmando o crescimento do segmento. Quando foi criado esse serviço, em 2001, o número de acessos era de apenas 360 mil.

Os resultados da difusão do recurso de banda larga no Brasil foram confirmados recentemente. O número de usuários de internet pela banda larga cresceu 53% entre abril de 2006 e abril de 2008, o maior aumento entre os dez países monitorados pela pesquisa Ibope/NetRatings.


Outorgas

Um papel essencial da Anatel é a de outorgar. Realizada por meio de atos administrativos, as outorgas delegam concessão, autorização ou permissão para a exploração de serviço de telecomunicações, como prescreve a Lei Geral de Telecomunicações também como dispõe a LGT, as outorgas podem ser expedidas mediante procedimento licitatório ou por inexigibilidade de licitação (dispensa do ato licitatório).


Em 2008, no âmbito da prestação de serviços no regime privado foram expedidas 12.273 autorizações tanto de interesse coletivo como restrito. Desse total e considerando as autorizações expedidas por licitação a Agência arrecadou: R$ 232.524,14 pela expedição de direito de exploração de satélite brasileiro; R$ 128.758,34 pela outorga de autorização de uso de radiofrequência associada ao SMP e R$ 3.057.798.428,30 pelas faixas de radiofrequência de 3a geração de serviço móvel.


Adiciona-se ainda o total arrecadado de R$ 9.801.329,06 referente ao chamamento público do Serviço de Radiotáxi, assim como as parcelas de licitação de uso das faixas de radiofrequência de 3,5Ghz e 10,5 Ghz relativo ao processo licitatório realizado no ano de 2003.


Também oriundos das autorizações de serviços privados somam-se os totais de R$ 2.909.678,00 e R$ 12.599.510,00 referentes ao Preço Publico pelo Direito de Exploração de Serviços de Telecomunicações e Pelo Direito de Exploração de Satélite (PPDESS) e pelo Preço Publico pelo Direito de uso de Radiofreqüências (PPDUR).


Em 2008, foram emitidas 57 outorgas de serviço e de radiofreqüências associadas no âmbito da comunicação móvel. Os segmentos que mais registram obtenção de outorgas foram Rádio do Cidadão, Radioamador e Serviço Limitado Privado. O número de estações Radiobase licenciadas em todo o País evoluiu de 36,2 mil, em 2007, para 42,2 mil no final de 2008. Foi concluído o reconhecimento da renovação do Serviço Especial de Televisão por Assinatura (TVA).


No âmbito dos serviços públicos, foi previsto para 2008 o licenciamento de cinco mil estações, mas foram licenciadas 23,5 mil. A superação significativa da meta ocorreu em razão da expansão dos negócios da prestadora TIM, que iniciou a prestação de Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) utilizando sua plataforma de Serviço Móvel Pessoal.


Fiscalização Tributária

Em 2008, foram fiscalizados de forma censitária os valores arrecadados por prestadores de serviços de telecomunicações nos exercícios de 2003 e 2004. Com enfoque em 2003, foram auditadas cerca de 1,3 mil empresas, apurando-se diferenças recolhidas a menor para o Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust), no montante de R$ 320.897.301,56. Para o Fundo Nacional de Telecomunicações (Funttel), a diferença recolhida a menor também em 2003 foi de R$ 167.772.779,21. O valor total da diferença entre os valores declarados e os devidos efetivamente somaram R$ 488.670.080,77.

Com referência ao exercício de 2004, foram auditadas 1,2 mil empresas, apurando-se diferenças recolhidas a menor, para o Fust, no montante de R$ 400.564.427,65, e para o Funttel de R$ 441.292.096,79. O valor total da diferença entre os valores declarados e os devidos efetivamente somaram R$ 841.856.524,44.


Pados (Procedimento de Apuração de Descumprimento de Obrigações) e Multas

Com relação aos valores, destaca-se que, ao longo de 2008, foram aplicadas e publicadas multas no total de R$ 32,1 milhões e arrecadados R$ 114,6 milhões, montante nunca antes alcançado pela Agência em um exercício.


Anatelpadosmultas.jpg


Administração-Geral

Gestão orçamentária e financeira

As receitas do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações, que de fato custeiam as despesas da instituição, totalizaram R$ 6,4 bilhões e as receitas do Fundo de Universalização das Telecomunicações atingiram o montante de R$ 1,4 bilhão.


Quadro de pessoal

Em agosto de 2008, a remuneração dos servidores das agências reguladoras foi reajustada pela Medida Provisória 441/2008, transformada na Lei nº 11.907/09, providência que contribuiu para diminuir consideravelmente o êxodo de servidores para outros órgãos públicos.


A Anatel encerrou 2008 com um quadro de pessoal integrado por 1.468 servidores, representando um decréscimo de 4,1% em relação ao ano de 2007. O gráfico a seguir apresenta a distribuição dos servidores, em 2008, em função da situação em que se enquadram.


Anatelquadropessoal.jpg


Interação com a Sociedade

Central de Atendimentos

Em 2008, a Anatel prestou 3,7 milhões de atendimentos. Desse total, 94,9% ocorreram pela Central de Atendimento, 4,9% pelo canal ‘Fale Conosco’, no portal da Agência na internet e 0,2% por outros canais. Formam, no conjunto, uma das principais fontes de informações que a Agência dispõe para subsidiar as fiscalizações, a revisão e a formulação dos regulamentos dos serviços. Registrou-se, no exercício, crescimento de 7,8% das interações da Anatel com os usuários de serviços de telecomunicações, em comparação com 2007.

Das chamadas recebidas, cerca de 66% foram pedidos de informações, respondidos no primeiro contato com a Agência, ou se referiram ao acompanhamento das solicitações em andamento. A respeito da dificuldade de atendimento, o número de reclamações, em 2008, foi 37,0% superior a 2007. As reclamações registradas atingiram 1,2 milhão, que representam 31,9% dos contatos, assim distribuídos: 42,3 mil (1,2%) pedidos de informações, 20,4 mil (0,6%) denúncias, 2,2 mil (0,1%) sugestões e 2,2 mil (0,1%) elogios.

Nesse cenário, as reclamações merecem atenção especial da Agência, pois representam oportunidades de melhoria e a necessidade de atuação junto às prestadoras, bem como a apuração de eventuais descumprimentos de obrigação. Das 1,2 milhão de reclamações registradas em 2008, 518,7 mil estavam relacionadas com os serviços de telefonia fixa, 431,2 mil com telefonia móvel e 228,1 mil com comunicação de massa, entre outros serviços. Do total de reclamações, 73% foram resolvidas no exercício.

Em relação à telefonia móvel, as 518,7 mil reclamações representaram crescimento de 44% em relação a 2007, para um crescimento de assinantes da ordem de 26%. Na telefonia fixa, apesar do pequeno crescimento de acessos, da ordem de 4%, observou-se aumento de 16% no número de reclamações – foram 431,2 mil em 2008.


Serviços de Telecomunicações

Telefonia Fixa

Competição

No cenário nacional, a competição evoluiu no âmbito da telefonia fixa, no exercício de 2008, no segmento das chamadas de Longa Distância Nacional (LDN). No final do exercício, o volume de tráfego acumulado apontava pequena variação na participação das operadoras no mercado de LDN, evidenciando saudável equilíbrio entre as competidoras desse segmento. Os gráficos abaixo retratam esse quadro mercadológico, em 2008, e permitem visualizar sua evolução desde 2005.

Anatelcompetiçãomercado.jpg


No que se refere às chamadas de Longa Distância Internacional (LDI), registrou-se, em 2008, a competição entre as mais expressivas operadoras dessa modalidade, como mostram os gráficos a seguir:


Anatelcompetiçãomercadointer.jpg


Qualidade

A entrada em vigor, em 1º de janeiro de 2006, do Plano Geral de Metas de Qualidade (PGMQ) do Serviço Telefônico Fixo Comutado e do Regulamento de Indicadores de Qualidade do STFC aprimorou e tornou mais rígidos os indicadores que são verificados nos serviços prestados, acrescentando ganhos para a qualidade da telefonia fixa. Em 2000, 19,3% das metas fixadas no antigo PGMQ não eram cumpridas pelas operadoras; no final de 2005, quando expirou aquele PGMQ, o descumprimento havia caído para 2,5%, evidenciando considerável melhoria na qualidade dos serviços oferecidos à sociedade.


Anatelplanodemetas.jpg
O que são estes números nas metas??? --Marcos Moecke 17:03, 9 Abril 2010 (BRT)

Serviço Móvel Pessoal

Planta

Na sequência do crescimento registrado desde a introdução da comunicação móvel celular no País, essa planta mostrou, mais uma vez, no exercício sob enfoque, evolução expressiva, passando de uma tecnologia digital para outra, mas incluindo a banda larga. Desde a privatização das empresas do Sistema Telebrás, o número de acessos em serviço cresceu de 7,4 milhões, em 1998, para 150,6 milhões de acessos no final de 2008, crescimento que pode ser avaliado, por período, no gráfico, que também inclui números anteriores à privatização.


Anatelmovelpessoal.jpg

Em 2008, foram habilitados 29,7 milhões de acessos e, ao final do exercício, dos 150,6 milhões de acessos habilitados, 81,5% eram de pré-pago e 18,5% de pós-pago. Em termos de planta do serviço móvel, o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking internacional, precedido pela China (575 milhões de acessos), Estados Unidos (259 milhões), Índia (257 milhões) e Rússia (168 milhões).

Teledensidade

A teledensidade – número de acessos por grupo de 100 habitantes – seguiu em evolução paralela ao crescimento da planta, avançando de 63,6%, em 2007, para 78,1% no final de 2008. O Distrito Federal, que até o ano anterior liderava a teledensidade entre as unidades da Federação, com 1,11 telefone celular em serviço para cada habitante, perdeu posição em virtude do cálculo englobar agora o DF e cidades do entorno. Dos dez municípios brasileiros que registram maior teledensidade, o primeiro lugar passou a ser ocupado por Salvador, com 1,13 telefone/habitante, seguido pelo Distrito Federal (100,2%), Belo Horizonte (92,6), Porto Alegre (86%), Florianópolis (84,8%) Rio de Janeiro (83,1%), Goiânia (81,6%), Curitiba (81%), Campo Grande (78,7%) e Campos dos Goytacazes (78,2%). Os estados que apresentaram maior crescimento percentual da densidade do SMP, no ano, foram Piauí (48,9%), Amazonas (48,3%), Bahia (42,3%), Pará (38,2%), Ceará (35,9%) e Maranhão (33,3%).

Cobertura

O ano de 2008 foi encerrado com a ampliação da cobertura do Serviço Móvel Pessoal. Dos 5.564 municípios brasileiros, o serviço estava disponível em 4.641, significando que 83,4% dessas unidades já contavam com cobertura celular, um crescimento notável quando se tem em conta que essa cobertura alcançava 3.111 municípios em 2005, 3.264 em 2006 e 3.357 no final de 2007 (60,3% dos municípios cobertos). Para viabilizar a expansão e garantir a qualidade dos serviços, as estações radiobase (ERBs), que somavam 34 mil unidades em 2006, 1,7 mil a mais que no ano anterior, em 2008 alcançou 42,2 mil estações.


Tecnologia

Vista a planta do Serviço Móvel Pessoal pelo ângulo tecnológico, percebe-se também extraordinária evolução. Os sistemas adotados pelas empresas foram quase que totalmente substituídos por tecnologias digitais – ‘Time Division Multiple Access’ (TDMA), ‘Code Division Multiple Access’ (CDMA) e ‘Global System for Mobile Communications’ (GSM), que ao final de 2008 representavam perto de 100% da planta do SMP. No exercício, a tecnologia GSM permaneceu em expansão e na liderança do mercado, com 133,9 milhões de acessos, ou 88,9% do total da planta de telefonia móvel.


Anatelacessoportecnologia.jpg

Competição

O mercado de telefonia móvel está cada vez mais competitivo, com benefícios positivos para os usuários. Nessa linha, prevê a Anatel que o recurso da portabilidade, quando integralmente implementado, em março de 2009, contribuirá para o fomento da competição, fortalecendo o direiro à opção do usuário por melhores serviços, o que forçará as prestadoras a lançarem mais ofertas de planos de serviços a preços atrativos, a serem mais flexíveis e atentarem ainda mais para o quesito qualidade.

Anatelmarketshare.jpg

Qualidade

A busca pela melhoria da qualidade na prestação dos serviços de telecomunicações tem sido outra preocupação permanente da Anatel. Em 2008, a aprovação do novo regulamento do Serviço Móvel Pessoal trouxe consideráveis avanços em relação aos planos anteriores – de 2002 e 2003 – de metas de qualidade, com vários benefícios para o usuário. Com o novo regulamento, as operadoras foram obrigadas a oferecer créditos pré-pagos com validade de até 180 dias. Além disso,

  • o prazo de carência deixou de existir para o Plano de Serviço, isto é, mudanças entre planos podem ser feitas a qualquer momento;
  • as prestadoras foram obrigadas a manter pelo menos uma loja de atendimento para cada microrregião de 200 mil habitantes, e uma loja para cada microrregião de 100 mil habitantes;
  • a prestadora só pode cobrar chamadas realizadas há mais de 60 dias após negociação com o usuário. Além disso, o usuário ganhou o direito da devolução em dobro, com juros e correção monetária, de valores cobrados indevidamente e pagos;
  • as chamadas para serviços de emergência passaram a ser gratuitas;
  • após receber um pedido de rescisão, a operadora ficou obrigada a, em até 12 horas, enviar ao usuário, por mensagem de texto, o número de protocolo de recebimento do pedido. Ficou também obrigada a desabilitar o serviço até 24 horas após o recebimento do pedido de rescisão.

Serviço de Comunicação Multimídia

Definido como um serviço fixo de comunicações de interesse coletivo, o Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) é prestado em âmbito nacional e internacional no regime privado. Possibilita a oferta de capacidade de transmissão a assinantes dentro de uma área de prestação de serviço, a emissão e a recepção de informações multimídia (sinais de áudio, vídeo, dados, voz e outros sons, imagens e textos.

Criado em agosto de 2001 para viabilizar a convergência de serviços, o SCM tem como um de seus objetivos acompanhar o contínuo desenvolvimento tecnológico do setor de telecomunicações. Ao final de 2008, somava 1.204 autorizadas do serviço e 11,4 milhões de acessos fixos em banda larga – 2,7 milhões a mais que no final de 2007. O gráfico seguinte mostra a evolução dos acessos em banda larga em serviço desde 2000.

Anatelcomunicaçãomultimidia.jpg

Embora esse crescimento tenha sofrido ligeira desaceleração, em 2008, gerada pela ampliação da competição com a diversificação da oferta de acessos em banda larga pelas prestadoras de TV por Assinatura e pelo início da oferta dos acessos 3G do SMP, a taxa de evolução do segmento não desapontou. A evolução da competição no serviço e da distribuição de acessos por velocidade está apresentada nos gráficos a seguir:

Anatelacessosporvelocidade.jpg


Anatelmarketshareacessos.jpg

Comunicação de Massa

Neste enfoque são destacados os principais fatos de 2008 relacionados com os serviços de comunicação eletrônica de massa, de interesse coletivo e prestados em regime privado, que incluem as diferentes modalidades de TV por Assinatura e os aspectos técnicos correlatos à radiodifusão, excetuando-se, neste caso, as outorgas, atribuição exclusiva do Ministério das Comunicações, como define a Lei Geral de Telecomunicações.


TV por Assinatura

Com a expansão da oferta de múltiplos serviços (tripleplay) e, principalmente, com o incremento da oferta de serviços que usam banda larga, as empresas de TV por Assinatura alcançaram, em 2008, 6,3 milhões de assinantes (veja evolução no gráfico), que significaram crescimento de cerca de 18,2% em relação a 2007. Foi o maior crescimento registrado no decênio, confirmando tendência evolutiva experimentada pelo setor nos últimos quatro anos. No final de 2008, a Anatel registrava a concessão de 387 outorgas para a exploração dos serviços de TV por Assinatura, assim distribuídas: TV a Cabo (266), MMDS (82), DTH (14) e TVA (25).

Anatelcrescimentoassinantes.jpg

Os quadros apontam a distribuição de assinantes por tecnologia e por região:

Anateltabelaassinaturasportecno.jpg


Qualidade

Em 2008, as prestadoras cumpriram 67,2% das metas estabelecidas pelo Plano Geral de Metas de Qualidade para os Serviços de TV por Assinatura (quadro abaixo), praticamente, o mesmo percentual obtido em 2007. Considerando que, até meados de 2007, as metas do Plano eram mais brandas, pode-se depreender que houve avanço no desempenho das prestadoras do setor no tocante à qualidade.


Anateltabeladesempenhoprestadoras.jpg

As prestadoras de serviços de TV por Assinatura apresentaram melhor desempenho nas metas de continuidade do serviço, representadas pelo Índice de Interrupções Solucionadas (IITS), com percentual de 91% de cumprimento da meta regulamentar. Os indicadores que medem a qualidade do atendimento pessoal – Índice de Atendimento Pessoal (IAP), com 84% e o atendimento via correspondência – Índice de Correspondências Respondidas (ICR), com 89% de metas cumpridas, também refletiram melhorias no desempenho das prestadoras de TV por Assinatura. Em relação ao Índice de Instalação do Serviço, as prestadoras cumpriram a meta em 83% dos casos, instalando o serviço solicitado no prazo acordado com o assinante.

Índices da Anatel