RES-2011-2-tiago

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Índice

Diário de aula de RES - 2012-1 - Prof. Tiago Semprebom

Instrutor

Professor: Tiago Semprebom, M. Eng.
Email: tisemp@ifsc.edu.br
Atendimento paralelo: 3a feira 17h - 18 h e 5a feira 17h - 18h (Lab. de Desenvolvimento de Tele)
Endereço web do grupo: http://groups.google.com/group/ifsc_res
Endereço de e-mail da disciplina: ifsc_res@googlegroups.com

IMPORTANTE: o direito de recuperar uma avaliação em que se faltou somente existe mediante justificativa reconhecida pela coordenação. Assim, deve-se protocolar a justificativa no prazo de 48 horas, contando da data e horário da avaliação, e aguardar o parecer da coordenação. O não cumprimento desse procedimento implica a impossibilidade de fazer a recuperação, e assim a reprovação na disciplina.

Material de apoio

28/02: Apresentação da disciplina

  • Apresentação da disciplina, plano de aula, trabalhos e métodos de avaliação.

01/03: Introdução à Redes de Computadores

06/03: Comutação de circuitos

  • Hosts, elementos finais e modelos de serviço.
  • Visão de serviços e componentes, borda da rede, núcleo da rede, protocolos.
  • Introdução aos serviços oferecidos pelo TCP (fim-a-fim).

08/03: Introdução à Redes de Computadores

  • Serviços TCP e UDP
  • Comutação de circuitos
  • Comutação de pacotes
  • Redes de acesso e meios físicos

13/03: Lista 1 - Comutação de circuitos

  • Lista de exercícios 1 (Disponível acima (Seção Material de apoio)
  • Um dia feito de vidro: vídeo super interessante sobre convergência tecnológica, voltado ao uso de tecnologias fotovotáicas (clique aqui)

15/03: Lista 1 - Comutação de circuitos

  • Arquitetura em Camandas
  • Modelo de referência TCP/IP
  • Resolução e correção Lista de exercícios 1

22/08: Redes de acesso e meios físicos

  • Redes de acesso e meios físicos
  • Atraso em redes de chaveamento de pacotes
  • Arquitetura em Camadas
  • Encapsulamento
  • Filme Fibra Óptica

24/08: Camada de Aplicação

  • Aplicações e protocolos da camada de aplicação
  • Serviços da camada de transporte
  • Requisitos de serviço
  • Web: Protocolo HTTP

24/08: Camada de Aplicação

Lab 1 - Construção de uma página HTML pessoal (duas primeiras aulas, Lab. Redes I)

  • Contrução de uma página HTML pessoal
  • Upload da página através de HTTP e FTP no site do instituto

Características do HTML

A Internet possui uma linguagem de "programação": o HTML. Esta é uma linguagem utilizada na World Wide Web (WWW) e ajuda na composição gráfica da página. Seria perfeitamente possível se fazer páginas internet sem o HTML, mas a mesma ficaria sem figuras, o texto ficaria completamente igual, ou seja, a página ficaria igual a um arquivo ".txt".

Com a vinda do HTML, podemos acrescentar, facilmente, trechos em negrito, em itálico, sublinhado e de vários outros tipos e formas. Podemos acrescentar figuras, links, listas, formulários e etc.

Marcações HTML

As marcações do HTML - conhecidas como "tags" - consistem do sinal (<), (o símbolo de "menor que"), seguida pelo nome da marcação e fechada por (>) ("maior que").

De um modo geral, as tags aparecem em pares, por exemplo:

 <H1> Cabeçalho </H1>

.

  • Exemplos de Marcaçoes:
 <TITLE> Este seria um título </TITLE>
 <H1> Este seria um cabeçalho </H1>
  • Uma página elementar:
<html>
<head>
<title> Página de Teste </title>
</head>
<body>
<i> CONTEÚDO DA PÁGINA em itálico <i/>
<a href="http://www.ifsc.edu.br" target="_blank"> Instituto Federal de Santa Catarina </a>

<a href="http://www.forumeiros.com"><img src="http://www.illiweb.com/fa/banner/pt/banner4.jpg" 
alt="forum gratis" title="forumeiros.com"/></a>
</body>
</html>
    • Correção de codificação Unicode (UTF-8)
<meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" />

Código de cores:

Editores para desenvolvimento de páginas HTML (livres):

29/08: Arquitetura em camadas

  • Início Camada de Aplicação (Cap.2 slides)
  • Web - protocolo HTTP
  • Coockies
  • Cache web
  • FTP
  • Correio eletrônico

31/08: Lab 2 - Construção de uma página HTML pessoal

  • Continuação e entrega da página pessoal

Cadastro no portal do aluno

  • Para as demais aulas será necessário ter uma conta cadastrada na escola.
  • Façam o cadastro no Portal do Aluno.

Utilizando o dav:

  • Pelo Nautilus lê e escreve: davs://200.135.37.75/arquivos/alunos/res/2011-2/<usuario>/
  • Existe ainda outra possibilidade via Nautilus: clique aqui

05/09: Camada de Aplicação

  • Proxy web
  • FTP
  • Correio eletrônico
  • Exercícios

12/09: Camada de Aplicação

  • Domain Name System (DNS)
  • Consultas Interativas e recursivas
  • Correção lista de exercícios

Servidores DNS raíz pelo mundo

Vídeo interessante

14/09: Revisão (Arquitetura Internet e Camada de Aplicação)

  • Correção listas de exercícios
  • Atividades de revisão para avaliação

19/09: Camada de Aplicação

  • Avaliação: Arquitetura Internet e Camada de Aplicação
  • Conceitos Av1 Redes de Computadores: clique aqui

21/09: Camada de Aplicação (Laboratório FTP, SSH e SCP)

FTP

  • FTP (File Transfer Protocol) é um protocolo, ou seja, uma linguagem standard de comunicação entre duas máquinas, permitindo a máquinas de tipos diferentes (ou cujo sistema de exploração é diferente) transferir ficheiros para uma rede que funciona sob TCP/IP.
  • O protocolo FTP permite trocar um arquivo ao mesmo tempo, nos dois sentidos entre a máquina cliente (a que iniciou a conexão, por conseguinte a máquina recorrente) e a máquina servidor (a que fornece o serviço FTP, por conseguinte a máquina chamada). O protocolo FTP permite também outras acções, como a criação e a supressão de directórios (com a condição de estarem vazios), a listagem dos ficheiros, a supressão e a alteração de nomes de ficheiros, etc.
  • No caso de não ser cadastrado no servidor FTP desejado, entre como usuário "anônimo": Name (maquina:user): anonymous
  • Neste caso, em vez de usar uma senha de acesso, use uma identificação, em geral seu endereço e-mail. As restrições de acesso bloqueiam a entrada do usuário em alguns diretórios, por questões de segurança do sistema.

Comandos FTP

binary

   Ou simplesmente bin. Estabelece como binário o tipo de representação dos arquivos a serem manipulados.
    Use este comando sempre que for lidar com arquivos de imagem, documentos formatados, executáveis e arquivos compactados. 

cd diretório_remoto

   Muda o diretório de trabalho na máquina remota. 

cdup

   Muda o diretório de trabalho para o diretório "pai" (superior) do diretório atual. 

lcd [ diretório ]

   Muda o diretório de trabalho na máquina local.
    Se nenhum diretório for especificado, o diretório "home" do usuário é utilizado. 

get arq_remoto [ arq_local ]

   Recupera o arquivo_remoto e o armazena na máquina local. Se um nome de arquivo_local não for especificado,

é dado o mesmo nome do arquivo na máquina remota.

mget arquivos_remotos

   Faz um get para cada arquivo remoto cujo nome esteja na lista de arquivos_remotos. 

put arq_local [ arq_remoto ]

   Armazena um arquivo local na máquina remota. Se não for especificado um nome arquivo remoto, ele terá o mesmo nome do arquivo local. 

mput arquivos_locais

   Faz um put para cada arquivo local cujo nome esteja na lista de arquivos_locais

help [ comando ]

   Ou apenas ?, escreve uma mensagem explicativa sobre o significado do comando.
    Quando nenhum comando é especificado, apresenta uma lista de comandos. 

ls [ dir_remoto ] [ arq_local ]

   Dá uma listagem do conteúdo de um diretório da máquina remota. Se não for especificado um diretório remoto,

é mostrada a listagem do diretório de trabalho usado.

    Se nenhum arquivo local for especificado, a listagem é mostrada na tela. 

dir [ dir_remoto ] [ arq_local ]

   Lista o conteúdo do diretório da máquina remota, colocando o resultado na máquina local.
    Se nenhum diretório remoto for especificado, o diretório de trabalho atual na máquina remota será utilizado. 
   Se nenhum arquivo na máquina local for especificado para receber a lista do diretório remoto, o resultado é enviado para o terminal. 

!dir [ dir_local ] [ arq_local ]

   Em alguns sistemas ftp, este comando lista o conteúdo de um diretório da máquina local. 

pwd

   Retorna o nome do diretório atual na máquina remota. 

quit

   Termina uma sessão ftp

Roteiro desta aula

26/09: Camada de Transporte

  • Serviços oferecidos pela camada de transporte
  • Multiplexação/Demultiplexação
  • Encapsulamento

29/09: Camada de Transporte

  • Lista IV
  • Vídeo interessante sobre o data center da UOL: clique aqui

03/10: Avaliação de Recuperação

  • Recuperação Arquitetura Internet e Camada de Aplicação
  • Conceitos Rec.1 clique aqui

05/10: Camada de Transporte

  • Vista de prova
  • Transferência confiável de dados
  • Protocolo Pára e Espera
  • Protocolos Dutados (Pipelined)
    • Volta-N
    • Retransmissão Seletiva

10/10: Camada de Transporte

  • Protocolos Dutados (Pipelined)
    • Volta-N
    • Retransmissão Seletiva
  • Lista de Exercícios

12/10: Camada de Transporte

  • Feriado Nacional

17/10: Camada de Transporte

  • Lista de Exercícios

19/10: Camada de Transporte - Wireshark e TCPDump

  • Roteiro desta aula aqui
  • Sniffer de rede em modo gráfico wireshark

Novo Curso: Engenharia de Telecomunicações

MURAL DE AVISOS E OPORTUNIDADES DA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES



31/10: Camada de Transporte

  • Lista de exercícios (números de sequência)
  • Controle de fluxo
  • Gerenciamento de conexões
  • Controle de congestionamento
  • Partida lenta

02/11: Feriado nacional (todos os santos)

  • Feriado nacional

07/11: Camada de Transporte

  • Controle de congestionamento
  • Partida lenta
  • Lista de exercícios (números de sequência)

09/11: Camada de Transporte

  • Correção lista de Exercícios
  • Revisão para avaliação 2

14/11: Camada de Transporte

  • Recesso

16/11: Camada de Transporte

  • Avaliação camada de Transporte

21/11: Camada de Rede

  • Introdução aos serviços da Camada Rede
  • Roteamento
  • Encaminhamento
  • Serviços da Camada de Rede
  • Rede datagrama vs circuito virtual

23/11: Camada de Rede

Conceitos Avaliação 2: Camada de Transporte

  • Conceitos avaliação 2 clique aqui
  • Vista de prova (Avaliação 2 - Camada de Transporte)
  • Correção lista de exercícios (Camada de Rede)
  • Roteamento hierárquico
  • Sistemas Autônomos (SA)

05/12: Camada de Rede

  • Classes de Endereço IP
  • CIDR: Classless InterDomain Routing
  • Exercícios e correção das listas de exercícios sobre CIDR

07/12: Camada de Rede

  • Exercícios Endereçamento IP
  • Revisão para Avaliação Camada de Rede

12/12: Camada de Rede

  • Avaliação Camada de Rede

14/12: Recuperações Finais

  • Recuperações finais da disciplina

ATENÇÃO

  • Resultados finais serão lançadas em conselho

Aplicativos para configurar e verificar parâmetros TCP/IP

Duas primeiras aulas no Lab. Redes II

Funcionamento do traceroute

O Traceroute é um instrumento de diagnóstico das redes, presente na maior parte dos sistemas de exploração, permitindo determinar o caminho seguido por um pacote. O comando Traceroute permite assim elaborar uma cartografia dos routers presentes entre uma máquina fonte e uma máquina alvo. O comando Traceroute difere de acordo com os sistemas de exploração.

  • Sob os sistemas UNIX/Linux, o comando traceroute é o seguinte: traceroute nome.da.maquina
  • Sob os sistemas Windows, o comando traceroute é o seguinte: tracert nome.da.maquina

O Traceroute baseia o seu funcionamento no TTL dos pacotes IP. Com efeito, cada pacote IP possui um campo duração de vida (TTL, Time To Live) reduzido a cada passagem de switch. Quando este campo chega a zero, switch, considerando que o pacote gira às voltas, destrói este pacote e envia uma notificação ICMP0 ao remetente.

Assim, o traceroute envia pacotes a uma porta UDP não privilegiado, considerada não utilizada (a porta 33434 por padrão) com um TTL que vale 1. O primeiro switch encontrado vai suprimir o pacote e devolver um pacote ICMP que dá nomeadamente o endereço IP switch bem como o tempo de propagação em anel. O Traceroute vai assim incrementar sequencialmente o campo duração de vida, de maneira a obter uma resposta de cada um dos routers do caminho, até obter uma resposta “porta ICMP não atingível” (“ICMP port unreachable”) por parte da máquina alvo.

Traceroute no Linux

Roteiro desta aula

Material de configuração interface de rede no Debian