Gerência de Redes de Computadores (técnico) (diário 2010-2)

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Sobre a disciplina

  • Dinâmica das atividade práticas: os alunos serão organizados em duplas para atuar como roteadores e servidores em rede.
  • Avaliação: 4 provas práticas de conteúdo cumulativo.

Visão geral de administração de sistemas e de rede

  • Revisão dos conceitos de sistemas operacionais e arquitetura TCP/IP, endereçamento e roteamento IP e interpretador de comandos.
  • O sistema operacional em rede, não de rede.
  • Processos locais são serviços em rede.

28/07: História dos S.O.s e linguagens de programação

02/08: Instalação de S.O. GNU/Linux

  • Sistemas instalados: Ubuntu Linux 9.10 como servidor.
    • Instalação mínima.
    • Recomendações de particionamento para servidores - em particular o uso de vários pontos de montagem.

04/08: Usuários, processos e dados

  • Tópicos: comandos de administração de usuários, grupos e senhas de usuários, processos e de sistemas de arquivos.
  • Para consulta: dicionário de comandos *nix.

09/08: Do início do sistema à configuração de rede

Descrição do início do sistema para o sistema instalado: Ubuntu Linux versão 9.10.

<graphviz>

digraph Inicio {

subgraph clusterKernel { label="S.O." Kernel [shape=Mrecord] Kernel -> "/" [label=1,color=blue] Kernel -> "/sbin/init" [label=3,color=blue] "/" -> Kernel [label=2] subgraph clusterInit { label="init" "/sbin/init" -> "/etc/init/*" [label=4,color=blue] "/etc/init/*" -> "/etc/init.d/rcS" [label=5,color=blue] "/etc/init.d/rcS" -> "/etc/rcS.d/S*" [label=6,color=blue] "/etc/rcS.d/S*" -> "/etc/init/*" [label=7] "/etc/init/*" -> "/etc/init.d/rc <runlevel>" [label=8,color=blue] "/etc/init.d/rc <runlevel>" -> "/etc/rc<runlevel>.d/S*" [label=9,color=blue] } } }

</graphviz>

Referência externa: Guia Foca GNU/Linux - intermediário - Rede

11/08: Segmentação de redes

  • Atividades: segmente as seguintes sub-redes abaixo conforme as máscaras de rede.
    • 10.20.032.0 de /21 para /23.
    • 200.25.137.160 de / 28 para /30.
    • 172.31.0.0 de /25 para /28.
    • 192.167.46.0 de /23 para /28.
    • 192.168.4.0/24 para 3 sub-redes, onde na primeira deve haver pelo 30 IPs válidos, na segunda 100 IPs válidos e na terceira 4 IPs.

16/08: Segmentação de redes

Configuração realizada sobre o protocolo IP:

  • Endereçamento.
  • Roteamento estático.
  • NAT.
<graphviz>

graph redes { rankdir=LR A [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|172.31.0.1/19"] B [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|<1>172.31.0.2/19"] C [shape=Mrecord,label="<2>172.31.128.2/19|<0>Roteador|<1>172.31.0.2/19"] A:1 -- C:1 [color=blue] B:1 -- C:1 [color=blue]

D [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|172.31.32.1/19"] E [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|<1>172.31.32.2/19"] F [shape=Mrecord,label="<1>172.31.32.3/19|<0>Roteador|<2>172.31.128.1/19"] D:1 -- F:1 [color=blue] E:1 -- F:1 [color=blue]

G [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|172.31.64.1/19"] H [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|<1>172.64.0.2/19"] I [shape=Mrecord,label="<2>172.31.128.3/19|<0>Roteador|<1>172.64.0.2/19"] G:1 -- I:1 [color=blue] H:1 -- I:1 [color=blue]

J [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|172.31.96.1/19"] K [shape=Mrecord,label="<0>Cliente|<1>172.31.96.2/19"] L [shape=Mrecord,label="<1>172.31.96.3/19|<0>Roteador|<2>172.31.128.4/19"] J:1 -- L:1 [color=blue] K:1 -- L:1 [color=blue]

C:2 -- F:2 [color=red] C:2 -- I:2 [color=red] C:2 -- L:2 [color=red] F:2 -- I:2 [color=red] F:2 -- L:2 [color=red] I:2 -- L:2 [color=red] }

</graphviz>

Legenda:

  • Azul: redes entre estações e roteador.
  • Vermelho: rede entre roteadores.

18/08: Simulado de prova

23/08: Revisão de comandos básicos de S.O.

  • Revisão de comandos de manipulação de usuários e grupos, listagem de processos e pontos de montagem.

25/08: Prova

Para responder à prova, assuma o seguinte conjunto de usuários:

  • João e Maria pertencem apenas ao grupo A.
  • Isaac e Jacó pertencem apenas a B.
  • Beatriz e Pedro pertencem apenas a C.
  • José pertence a A e B.
  • Lucas pertence a A e C.
  • Mateus pertence a B e C.
  • Aarão pertence a A, B e C.

Questões:

  1. Jacó e Maria devem ter acesso pleno a /home/documentos. Isaac pode apenas ler o mesmo diretório.
  2. Aarão e Beatriz podem ler /var/log/* (todos os arquivos do diretório).
  3. Ao iniciar o sistema, deve rodar um script contando quantos processos correntes há para, em seguida, gerar um arquivo-relatório armazenando todos essas contagens.
  4. Quantos e quais processos, atualmente, são do usuário root? Crie um script que informa tais valores.
  5. Quantas partições há no sistema corrente? Informe tipos e tamanhos.
  6. Bônus: Crie uma partição do tipo EXT3 para abrigar os sites, os quais ficarão no diretório /var/www. Monte a referida partição.
  7. Configure a 5a. sub-rede da classe cheia (classful network) 172.14.37.0/25, a qual foi dividida usando a nova máscara /28. Identifique máscara e um IP válido.
  8. Segmente a rede 192.168.24.0/25 em 3 partes, onde cada uma deve conter:
    • pelo menos 10 IPs.
    • pelo menos 20 IPs.
    • pelo menos 50 IPs.

Serviços em rede

netstat -lnut
lsof -n | grep <porta>
fuser -v -n tcp <porta>
fuser -v -n udp <porta>

Assumindo o S.O. Ubuntu Linux:

Serviço Porta/Protocolo Programa principal Arquivo de configuração principal Arquivo de Registro
NTP 123/UDP /usr/sbin/ntpd /etc/ntp.conf /var/log/syslog
Cron (serviço local) /usr/sbin/cron /etc/crontab /var/log/syslog
Syslog 514/UDP /usr/sbin/rsyslogd /etc/rsyslog.conf /var/log/messages
DHCP 67/UDP /usr/sbin/dhcpd /etc/dhcp3/dhcpd.conf /var/log/syslog
DNS 53/UDP /usr/sbin/named /etc/bind/named.conf /var/log/daemon.log
SMB 137/UDP, 138/UDP, 139/TCP, 445/TCP /usr/sbin/smbd, /usr/sbin/nmbd /etc/samba/smb.conf /var/log/samba/log.smbd, /var/log/samba/log.nmbd
HTTP 80/TCP, 443/TCP /usr/sbin/apache2 /etc/apache2/apache2.conf /var/log/apache2/access.log
SMTP 25/TCP /usr/lib/postfix/master /etc/postfix/main.cf /var/log/mail.log
IMAP 143/TCP /usr/lib/dovecot/imap /var/log/auth.log

30/08: Serviços de sistema e relógio

NTP

  • Sincronização do relógio com NTP.

Cron

  • Agendamento de tarefas com cron.

Syslog

  • Registro de eventos, ou logs, através do syslog.

Obs.: a documentação do Foca Linux, guia de referência, está baseada na distribuição Debian GNU/Linux, ligeiramente diferente do Ubuntu Linux usado em aula; contudo, há equivalência entre ambos em praticamente todo o conteúdo abordado neste curso, como por exemplo o caso dos daemons syslogd e klogd e o rsyslogd.

01/09: DHCP

  • Necessidade: configuração facilitada em rede.
  • Proposta de solução: distribuição automatizada de endereços de redes através de ponto/serviço central.
  • Protocolo: Dynamic Host Configuration Protocol.
    • Porta: 67/UDP.
    • Diálogo (em vermelho broadcast e em azul unicast):
  • Implementação: ISC.
<graphviz>

digraph DHCP { Servidor [shape=circle] Cliente [shape=plaintext]

Cliente -> Servidor [label="1: Discover",color=red] Servidor -> Cliente [label="2: Offer",color=blue] Cliente -> Servidor [label="3: Request",color=blue] Servidor -> Cliente [label="4: ACK",color=blue] }

</graphviz>

Servidor

  • Instalação e configuração:
aptitude install dhcp3-server
vi /etc/dhcp3/dhcpd.conf
  • Conteúdo do arquivo /etc/dhcp3/dhcpd.conf:
# Sem integração entre DHCP e DNS.
ddns-update-style none;

# Rede local: 192.168.2.0/24
subnet 192.168.2.0 netmask 255.255.255.0
{
   # IP
   range 192.168.2.200 192.168.2.219;
   # Máscara de rede
   option subnet-mask 255.255.255.0;
   # Broadcast
   option broadcast-address 192.168.2.255;
   # Rota-padrão
   option routers 192.168.2.1;
   # Servidor(es) DNS: OpenDNS e Google
   option domain-name-servers 208.67.222.222, 8.8.8.8;
   # Tempo de aluguel
   default-lease-time 3600;
   max-lease-time 14400;
}

# OPCIONAL: Um cliente em especial ganhará sempre o mesmo IP
host clienteEspecial
{
   hardware ethernet 08:00:27:60:13:78;
   fixed-address 192.168.2.220;
}
  • Monitoramento do serviço:
tail -f /var/log/syslog &
tail -f /var/lib/dhcp3/dhcpd.leases &
  • Aplicação dos valores (do arquivo):
/etc/init.d/dhcp3-server restart

Por fim, confirme se o serviço está rodando.

Cliente

  • Instalação e configuração:
aptitude install dhcp3-client
vi /etc/network/interfaces
  • Conteúdo do arquivo /etc/network/interfaces:
# Interfaces loopback
auto lo
iface lo inet looback

# Interface Ethernet 0
auto eth0
iface eth0 inet dhcp
  • Aplicação dos valores (do arquivo):
/etc/init.d/networking restart

Colaboração: Karine.

06/09: DHCP

  • Revisão do assunto.

08/09: Correção da prova

13/09: DNS

  • Necessidade: tradução de nomes de computadores.
  • Proposta de solução: hierarquia de servidores em escala global.
  • Protocolo: Domain Name System.
    • Porta: 53/UDP cliente-servidor e 53/TCP servidor-servidor (em implantação: DNSSEC).
  • Implementação: ISC.

Servidor

Este é um dos serviços mais delicados em sua configuração, uma vez que as falhas de configuração não inviabilizam o processo de rodar; ou seja, mesmo com má configuração o servidor iniciará. É preciso, portanto, estar sempre atento aos registros do serviço - no caso, o arquivo /var/log/daemon.log.

Como o arquivo principal /etc/bind/named.conf faz apenas referências a outros 3 arquivos, o primeiro arquivo de fato a ser modificado é /etc/bind/named.conf.options:

options {
   ...
   listen-on-v6 { any; };
   listen-on { any; };
   allow-recursion { 127.0.0.0/8; SUB-REDE/MÁSCARA; };
   allow-query { any; };
   allow-query-cache { any; };
};

Enquanto que o arquivo anterior tratava do serviço em linhas gerais, no arquivo /etc/bind/named.conf.local será criado o domínio redes.com.br e seu reverso:

...
zone "redes.com.br" {
   type master;
   file "/etc/bind/redes.com.br";
};
zone "2.168.192.in-addr.arpa" {
   type master;
   file "/etc/bind/2.168.192.in-addr.arpa";
};

Próxima etapa: as informações específicas de domínio em /etc/bind/redes.com.br:

$TTL 86400
@         IN   SOA   ns1.redes.com.br.   ederson.redes.com.br. (
    2010033101   ; serial
            1d   ; refresh
            1h   ; retry
            1w   ; expire
            1d   ; negative cache ttl
)
@        IN   NS     ns1
ns1      IN   A      192.168.2.101
www      IN   CNAME  ns1
web      IN   CNAME  ns1

e seu reverso, arquivo /etc/bind/2.168.192.in-addr.arpa:

$TTL 86400
@      IN   SOA   ns1.redes.com.br.   ederson.com.br. (
    2010033101   ; serial
            1d   ; refresh
            1h   ; retry
            1w   ; expire
            1d   ; negative cache ttl
)
@      IN   NS    ns1.redes.com.br.
1.0.0 IN   PTR   ns1

Nota: como o serviço pode rodar com má configuração, é interessante (re)iniciar o serviço com um monitor dos registros:

tail -f /var/log/daemon.log &

em uma janela, enquanto que na outra:

/etc/init.d/bind9 restart

Além disso, ferramentas como dig permitem consultas específicas aos registros criados (SOA, NS, MX, e outros).

Cliente

A configuração do cliente é feita de duas formas. Na forma manual, basta editar o arquivo /etc/resolv.conf:

search redes.com.br
nameserver 127.0.0.1

Na forma automática, tanto o servidor DNS quanto os domínios de busca já são atribuídos pelo serviço anterior, DHCP.

<graphviz>

digraph DNS { rankdir=LR

subgraph clusterDireto { label="redes.com.br" ns1 [shape=circle] www [shape=record] servidor [shape=record]

www -> ns1 [label=CNAME] servidor -> ns1 [label=CNAME] }

subgraph clusterReverso { label="2.168.192.in-addr.arpa" "101" [shape=record] }

ns1 -> "101" [label=A] "101" -> ns1 [label=PTR] }

</graphviz>

Projeto da Disciplina

A aula do dia 15/09 se mostrou bastante produtiva. Com a preparação do Encontro Pedagógico, já foi diagnosticado que o modelo de aula pode ser mais produtivo, como por exemplo apresentando um problema real a ser resolvido usando Gerência de Rede.

Com isso, a proposta original foi engavetada, e montamos, em parceira (professor e alunos) a nova:

  • Prazo de execução: 9 semanas.
  • Equipes:
    • Everton, Gabriel e Lucas.
    • Andreia, Leonardo e Ronaldo.
    • Cleidiane, Karine e Rafael.
    • Diony, Luis e Tadeu.
  • Método de avaliação:
    • A primeira avaliação valerá 10% do conceito final.
    • Haverá outras 4 avaliações, de periodicidade quinzenal, contemplando os outros 90%. Todas essas serão orais, onde em metade haverá o sorteio do aluno a defender a equipe - e na outra metade o aluno será indicado pela equipe.

O Problema

Com a constituição do novo Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio de Telecomunicações, surgiu a necessidade de se criar todo um espaço virtual para professores, pais e alunos.

<graphviz>

graph Integrado { Integrado [label="Ambiente Web",shape=circle] Pais [shape=plaintext] Alunos [shape=plaintext] Professores [shape=plaintext] Coordenadores [shape=plaintext]

Integrado -- Pais Integrado -- Alunos Integrado -- Professores Integrado -- Coordenadores }

</graphviz>

Requisitos

Esse ambiente deve conter:

  • Sobre: páginas descrevendo o curso.
  • Notícias: relacionadas à área de Telecomunicações.
  • Repositório de documentos: arquivos em geral.
    • Espaço do professor: publicações pessoais.
  • Calendários:
    • Atividades e visitas/viagens de estudo.
    • Professores: horários de aula e de atendimento.
  • Referências a outros sites: links.
  • Comunicação facilitada: por texto, áudio ou vídeo.

Em relação à boa gerência, o ambiente também deve conter:

  • Documentação de instalação, configuração e manutenção neste wiki.
    • Defesa da escolha de solução caseira, terceirizada ou mista.
  • Configuração de domínio DNS próprio.
  • Possibilidade de publicação de arquivos via Web, seja por aplicativo ou WebDAV.
  • Estatísticas de acesso.
  • Gerências de monitoramento e de contabilização.
  • Salvaguarda (backup) dos dados sensíveis e/ou críticos.
  • Controle remoto para os administradores de sistema.

Forma de Abordagem

Uma forma de abordar o problema é construir a solução em serviços, onde esses estão divididos em camadas:

  1. Facilitadores: serviços invisíveis ao usuário final. Responsáveis por estabelecer um canal lógico mínimo para comunicação em rede - sistema operacional e rede. Serviços comuns: BOOTP e DHCP.
  2. Dados: responsáveis pelo armazenamento de dados em diretórios ou bandos de dados, geralmente relacionais. Serviços comuns: LDAP/AD e bancos SQL.
  3. (In)diretos: são os serviços voltados diretamente para os usuários finais. Serviços comuns: a suíte de protocolos SMB (Samba), HTTP, SMTP, IMAP e XMPP.
  4. Aplicaçõe: aqui usaremos o termo para definir aqueles que rodam sobre outros na camada de Aplicação, como por exemplo aplicações Web. Serviços comuns: blog, portal e webmail.
  5. Gerência: vertente dos serviços finais, esses voltados aos administradores de rede e de sistemas. Serviços comuns: SNMP, backup em rede.
<graphviz>

digraph Servicos { subgraph clusterFacilitadores { label=Facilitadores DHCP }

subgraph clusterDiretoriosBDs { label="Dados" subgraph clusterDiretórios { label=Diretórios LDAP DNS } subgraph clusterBDs { label=BDs SQL } }

subgraph clusterIndiretos { label="(In)Diretos" subgraph clusterCompartilhamento { label=Compartilhamento SMB HTTP } subgraph clusterComunicação { label=Comunicação SMTP IMAP XMPP SIP "RTP/RTCP" } }

subgraph clusterAplicações { label=Aplicações Portal Webmail }

subgraph clusterGerência { label=Gerência SNMP Backup }


DHCP -> DNS DNS -> LDAP [color=red] DNS -> SQL [color=red] DNS -> SMB [color=red] LDAP -> SMB [color=blue] DNS -> HTTP [color=red] LDAP -> HTTP [color=blue] DNS -> SMTP [color=red] DNS -> IMAP [color=red] DNS -> XMPP [color=red] DNS -> SIP [color=red] LDAP -> SMTP [color=blue] LDAP -> IMAP [color=blue] LDAP -> XMPP [color=blue] LDAP -> SIP [color=blue] XMPP -> "RTP/RTCP" SIP -> "RTP/RTCP" SMTP -> IMAP SQL -> Portal [color=green] HTTP -> Portal SQL -> Webmail [color=green] HTTP -> Webmail SMTP -> Webmail IMAP -> Webmail LDAP -> Backup [color=blue] SQL -> Backup [color=green] SMB -> Backup HTTP -> Backup

       DNS -> Backup [color=red]
       DNS -> SNMP [color=red]

}

</graphviz>

24/09: Pesquisa

Na aula anterior, foi construída uma primeira tabela como proposta de solução do problema:

Camada Serviço Protocolo Implementação
Facilitadores Por se tratar de um servidor em rede dedicada, não será preciso qualquer serviço deste tipo.
Dados/Diretórios Nomes de computadores DNS Bind
Dados/Diretórios Usuários e grupos LDAP OpenLDAP
Dados/DBs Banco de dados SQL MySQL
(In)Diretos/Compartilhamento na Internet HTTP Apache
(In)Diretos/Comunicação Bate-papo XMPP Openfire
Aplicações ???
Gerência Monitoramento e contabilização SNMP Cacti

Para esta sexta-feira, portanto, a tarefa é pesquisar por aplicações Web que atendam às necessidade do projeto. Como ponto de partida:

27/09: Instalação e DNS

Instalação de programas

  • Etapas para uma boa instalação:
aptitude update
aptitude search <nome>
aptitude install <pacote>

DNS

  • Instalação:
aptitude install bind9
  • Configuração do controle de acesso dos clientes por IP:
cd /etc/bind/
vi named.conf.options
  • Conteúdo do arquivo /etc/bind/named.conf.options:
options
{
   listen-on { any; };
   listen-on-v6 { any; };
   allow-query { any; };
   allow-query-cache { any; };
   allow-recursion { 127.0.0.0/8; <rede_local>/<máscara>; };
};
  • Criação da zona (domínio DNS direto):
vi named.conf.local
  • Conteúdo do arquivo /etc/bind/named.conf.local:
zone "integrado.sj.ifsc.edu.br"
{
   type master;
   file "/etc/bind/integrado.sj.ifsc.edu.br";
};

29/09: Bases de Dados

  • Escolhido o MySQL. A instalação se dá da seguinte maneira:
aptitude install mysql-server
  • Visualização das bases e usuários:
mysql -u root -p
SHOW DATABASES;
USE mysql;
SHOW TABLES;
SELECT * FROM user;
SELECT * FROM db;
  • Criação de uma base portal para o usuário usuario com a senha senha:
mysql -u root -p
CREATE DATABASE portal;
GRANT ALL PRIVILEGES ON portal.* TO usuario@localhost IDENTIFIED BY 'senha';
FLUSH PRIVILEGES;
<graphviz>

graph DB { "Base da Dados" [shape=Mrecord]

Máquina -- Usuário Senha -- Usuário Usuário -- "Base da Dados" Máquina -- "Base da Dados" "Base da Dados" -- Privilégios Usuário -- Privilégios }

</graphviz>

06/10: Dos Bancos de Dados aos Aplicativos Web

<graphviz>

digraph BDaoAplicWeb { SQL LDAP }

</graphviz>

08/11: Firewall

Filtro de pacotes utilizando iptables (eu prefiro esse):

#!/bin/bash

# Política-padrão: bloqueado exceto o contrário
iptables -t nat		-P PREROUTING	ACCEPT
iptables -t nat		-P POSTROUTING	ACCEPT
iptables -t nat		-P OUTPUT		ACCEPT
iptables -t filter	-P INPUT 		DROP
iptables -t filter	-P FORWARD		ACCEPT
iptables -t filter	-P OUTPUT		ACCEPT

# Limpeza de regras antigas
iptables -t filter	-F
iptables -t nat		-F

# Ativar o roteamento
sysctl -w net.ipv4.ip_forward=1

# NAT: saída dos pacotes
# iptables -t nat -A POSTROUTING -s <rede local/máscara> -j MASQUERADE
iptables -t nat -A POSTROUTING -s 10.0.0.68/30 -j MASQUERADE
#
# Redirecionamento de porta: entrada dos pacotes
# iptables -t nat -A PREROUTING -p <protocolo> --dport <porta> -j DNAT \
# 	--to-destination <IP>:<porta>
iptables -t nat -A PREROUTING -p tcp --dport 80 -j DNAT \
	--to-destination 10.0.0.70:80
# Filtro de pacotes: saída dos pacotes
iptables -A INPUT -m state --state RELATED,ESTABLISHED -j ACCEPT
# Filtro de pacotes: entrada dos pacotes
iptables -A INPUT -p tcp --dport 22 -j ACCEPT
exit 0

10/11: Backup

#!/bin/bash
#
# 20101110 Ederson Torresini: rotina de backup de diretórios importantes

ORIGEM="/etc /home /var"
DESTINO="/backup"
DIA=`date +%Y%m%d`
DIA_DA_SEMANA=`date +%A`
EMAIL=root@servidor

# Criar o diretório de destino
mkdir -p ${DESTINO}
chmod 700 ${DESTINO}
chown root ${DESTINO}

# Função: backup completo
completo()
{
	tar cvzf ${DESTINO}/${DIA}.tar.gz ${ORIGEM} \
	> ${DESTINO}/${DIA}.txt \
	2> /dev/null
}

# Função: backup incremental (somente último dia)
incremental()
{
	tar cvzf ${DESTINO}/${DIA}.tar.gz `find ${ORIGEM} ! -type d -mtime -1`
 \
	> ${DESTINO}/${DIA}.txt \
	2> /dev/null
}

# Função principal
if [ "${DIA_DA_SEMANA}" = "sunday" -o "${DIA_DA_SEMANA}" = "domingo" ]
then
	completo
else
	incremental
fi
mysqldump -uroot -proot --all-databases > ${DESTINO}/${DIA}.sql
cat ${DESTINO}/${DIA}.txt | mail -s "[Backup]: ${DIA}" ${EMAIL}
find ${DESTINO} -type f -mtime +7 -exec rm -f {} \;
exit 0

17/11: Prova Final

Para esta prova, é FORTEMENTE recomendado utilizar um sistema novo.

  1. Construir um script que gera um relatório diário com:
    • Usuários sem senha ou bloqueados por senha;
    • Usuários sem interpretador de comandos válido;
    • Arquivos sem usuário ou grupo do sistema. Guardar os relatórios por 1 semana.
  2. Construir um script que monitora os seguintes serviços:
    • NTP
    • Syslog
    • SSH
    • DNS
    • HTTP. caso algum serviço esteja parado, o próprio script deverá (re)iniciar o serviço e guardar essa informação (reinício) em arquivo de log a definir.
  3. Configurar um domínio DNS:
    • zona <nomecompleto>.com.br;
    • Faixa de IPs: 192.168.<máquina>.0/28.
  4. Monitoramento de contabilização do servidor:
    • Rede: todas as interfaces físicas e lógicas.
    • Sistema: consumo de processamento e de memórias principal e secundária.
  5. Construir um firewall que bloqueia todo o tráfego de rede exceto os serviços listados na questão 2.
  6. Construir um script que realiza o backup de:
    • Arquivos pessoais (/home) diariamente.
    • Arquivos de sistema (/etc e /var) semanalmente. Deve haver pelo menos dois backups - enquanto um é processado, haverá sempre outro para segurança. Assim, o histórico de armazenamento será de até 2 períodos. Além disso, cada backup deve listar quais arquivos e seus metadados (datas, propriedades e permissões) em arquivo anexo.

Projeto Integrador

Conceitos Finais

Aluno Conceito
Andreia C
Cleidiane D
Diony C
Everton D
Gabriel D
José Tadeu D
Karine C
Leonardo D
Lucas C
Luis C
Rafael C
Ronaldo A



Voltar para página principal da disciplina