FXO e FXS USB

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Resumo

Vários serviços hoje fazem uso da rede de computadores, tais como os de segurança eletrônica e controle de acessos. Com a telefonia não é diferente. Usar a internet para efetuar chamadas locais ou chamadas de longa distância é uma realidade, chamadas para interligação entre empresas também são muito utilizadas usando a internet. Ter essa tecnologia dentro de pequenos escritórios e até mesmo em residências é algo que pode ser muito atrativo. Usar a rede mundial de computadores é rotina e esta serviu muito bem à aplicação de voz. O que torna isso possível é o uso do VoIP. Este acrônimo já é de uso cotidiano assim como a telefonia IP.

VoIP é o acrônimo em inglês para Voice Over Internet Protocol (voz sobre o protocolo internet), tecnologia que usa a rede mundial de computadores (comutação de pacotes), para transmitir voz. Essa tecnologia foi desenvolvida ao longo da década de 90. Padrões para protocolos de funcionamento a serem usados na VoIP foram criados pela ITU (International Telecommunication Union) e pela Internet Engineering Task Force (IETF). O VoIP nasceu de duas vertentes: a digitalização do tráfego entre as centrais telefônicas e a Internet, possibilitando custos menores em ligações de longa distância. Uma vantagem sobre à PSTN, é a alocação de recursos, enquanto a PSTN mantém um link dedicado ao usuário, o VoIP permite vários usuários compartilhando o memo link. Também deve-se destacar que o VoIP estará disponível em qualquer local que tenha acesso à internet. Ligações de longa distância, são efetuadas a custo de uma ligação local, ou até mesmo, a custo zero, caso o sistema seja de posse do usuário. Para que tudo isso seja possível, é preciso fazer uso de alguns equipamentos.

A integração da telefonia IP com a PSTN (telefonia pública) se dá por um equipamento que agrega a função de Gateway (GW). Está é a funcionalidade responsável pela interoperabilidade da telefonia IP com a telefônica pública. O Gateway executa a conversão de mídia em tempo real (Voz analógica x Voz digital) e a conversão de sinalização para as chamadas telefônicas que entram e saem da rede VoIP. Em muitos sistemas, são usados portas denominadas FXO e FXS para dar subsídios ao Gateway efetuar a tarefa de interligar essas duas redes.

FXS e FXO são hardwares que dispõe de portas usadas por linhas de telefonia analógica (também conhecidas por POTS – Sistema de Telefonia Tradicional). FXS - Foreign eXchange Station é a interface que fornece a linha analógica ao assinante. Em outras palavras, é o "plug na parede" que fornece o tom de discagem, corrente de energia e sinal de voz. FXO - Foreign eXchange Office é a interface que recebe a linha analógica. É o plug no telefone ou aparelho de fax, ou o(s) plug(s) no seu sistema de telefonia analógica. Indica se o telefone está no gancho/fora do gancho (circuito fechado). Como a porta FXO está ligada a um dispositivo, tal como fax ou telefone, esse dispositivo é normalmente chamado de "dispositivo FXO". FXO e FXS estão sempre em pares, de modo semelhante a um plug macho/fêmea. Portanto, essas interfaces devem ser usadas em um gateway para que se possa receber e efetuar chamadas via PSTN.

Uma opção para criar um Gateway é o Asterisk, que implementa em software os recursos encontrados em um PABX convencional, utilizando tecnologia de VoIP usando uma simples arquitetura de um computador pessoal (PC), sem a necessidade de grandes sistemas ou sistemas proprietários. Asterisk é um projeto de código-aberto e livre desenvolvido inicialmente pela empresa Digium, e hoje recebe contribuições de programadores ao redor de todo o mundo. Com ele pode-se transformar um computador em um PABX, para que ele cumpra essa tarefa juntamente com a interligação à PSTN, é necessário o uso do DAHDI (Digium Asterisk Hardware Device Interface) que é tanto um pacote de módulos para o Kernel (drivers) quanto um middleware que faz a comunicação do channel driver do Asterisk com os drivers das interfaces FXS/FXO. Portanto, DAHD é o responsável por toda a comunicação entre a aplicação "channel driver" do Asterisk e o hardware de telefonia (interfaces FXO/FXS - Hardware telefonia). As interfaces FXS e FXO são integradas ao Asterisk utilizando o modelo de device driver do DAHDI já que se adaptam à estrutura deste.

Como as Interfaces FXO/FXS são hardwares, precisam, de alguma maneira, serem instaladas no sistema (computador) que às suportará. O padrão USB é um padrão a fácil instalação de periféricos. Este, foi desenvolvido por um consórcio de empresas, entre as quais destacam-se: Microsoft, Apple Inc., Hewlett-Packard, NEC, Intel e Agere. O objetivo era criar um barramento universal que atendia a vários sistemas, de maneira fácil, segura e eficiente. Além de poder ser integrado a vários tipos de sistemas, elas podem ser ativadas ou desativadas ainda com o sistema ligado. Por esse motivo, o padrão USB será adotado na construção do hardware para o par de interface FXO e FXS.


Objetivo

O objetivo deste trabalho é a confecção de um dispositivo que implemente um par de interfaces FXO (Foreign eXchange Office) e FXS (Foreign eXchange Station) usando uma porta USB.

Cronograma

Etapas/Mes Abril Maio Junho
Elaboração do Resumo x
Pesquisa bibliografica x x x
Avaliação Final x

Referência Bibliográficas