CONCEPÇÕES DE CONTEXTUALIZAÇÃO NA SEÇÃO RELATOS DE SALA DE AULA DA REVISTA QUÍMICA NOVA NA ESCOLA

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Autor:

Viviane Lopes Pazinato

Resumo:

Especialmente a partir da publicação dos documentos curriculares oficiais dos anos 1990, a “contextualização no/do ensino” vem sendo discutida por diversos autores e pesquisadores, os quais apontam para existência de diferentes compreensões do que é contextualizar o ensino. Tomando como referência estas discussões, este trabalho visou analisar as possíveis concepções de contextualização manifestadas em artigos publicados na seção Relatos de Sala de Aula da Revista Química Nova na Escola. Uma Revista de ampla relevância no âmbito da Educação em Química, porque está voltada para professores da Educação Básica, docentes universitários, estudantes de graduação e pós-graduação, além de pesquisadores; e uma seção particularmente importante, na medida em que veicula artigos com relatos de aulas diferenciadas realizadas por educadores de Química. Para alcance do objetivo proposto neste estudo, foram selecionados oito artigos da referida seção, publicados no ano de 2011, os quais continham, em seu resumo, título ou palavra-chave, expressões que remetessem à presença de um trabalho contextualizado. O estudo do corpus foi pautado nos princípios da Análise Textual Discursiva, que se constitui por três etapas: fragmentação, categorização e comunicação. Neste processo analítico, emergiram quatro categorias relativas às concepções de contextualização manifestadas nos artigos, denominadas da seguinte forma: “A contextualização como abordagem de temas sociais”; “Contextualização e interdisciplinaridade: as relações existentes”; “Contextualizar requer estratégias metodológicas alternativas” e “A inserção de fatos e fenômenos presentes no cotidiano do aluno na tentativa de contextualizar”. A primeira e a segunda concepção de contextualização foram encontradas na maioria dos artigos; porém, merece destaque a terceira concepção, manifestada em todos. Quanto ao quarto entendimento de contextualização, este foi mais marcante em apenas três trabalhos. O que pode ser considerado um avanço, na medida em que este entendimento há muito vem sofrendo diversas críticas por autores e pesquisadores da área de Educação em Ciências/Química. A partir dos resultados desta pesquisa, três conclusões importantes podem ser pontuadas: a) que a diversidade de concepções de contextualização também existe entre diferentes profissionais da Educação em Química; b) que os editores da Revista QNEsc têm optado em expressar essa diversidade de visões nos artigos aprovados para publicação na seção Relatos de Sala de Aula; e c) que estes artigos possivelmente tem contribuindo para “circulação” e “manutenção” dessa polissemia, na maior parte das vezes enriquecedora para o ensino de Química.

Abstract:

Mainly after the publication of the curricular official documents in the years 1990's, the “contextualization in/of teaching” has been discussed by many authors and researchers, who point towards the existence of different ideas of what contextualizing teaching means. Bearing those discussions as a reference, this study aims at analyzing the possible conceptions of contextualization that appeared in articles published in the session Relatos de Sala de Aula (Classroom Reports) of the publication Química Nova na Escola. The last is a publication of great relevance in Chemistry Education, because it is designed for Basic Education teachers, undergraduate and postgraduate students, as well as researchers; and the above cited section is a particularly important one, since it consists of articles with reports from different classrooms by Chemistry teachers. To achieve the objective proposed in this study, eight articles from the year 2011 were selected, containing, in their abstract, title, or key-words, expression that indicated the existence of a contextualized work. The study of the corpus had as a theoretical background the principles of Discursive Textual Analysis, which consists of three steps: fragmentation, categorization e communication. In this analytic process, four categories related to the conceptions of contextualization emerged in the articles and were denominated as follows: “The contextualization as approach to social issues”; “Contextualization e interdisciplinaryty: the existent relationships”; “Contextualizing requires alternative methodological strategies,” and “The insertion of facts and phenomena in the everyday lives of the students as a search for contextualization.” The first and the second conceptions of contextualization were found in most of the articles; however, the third conception, which appears in all of them, comes to the fore. As for the fourth notion of contextualization, it foregrounded in only three articles, which can be considered an advance, since this notion has been criticized by many authors and researchers in the Sciences/Chemistry Education area. From the results of this study, three important conclusions can be pointed: a) that the diversity of contextualization conceptions also exists among Chemistry Education professionals; b) that the editors of Revista QNEsc have been opting to express this diversity of vision in the articles approved for publication in the section Relatos de Sala de Aula; and c) that those articles have possibly been contributing to the “circulation” e “maintenance” of this polissemy, usually enriching for the teaching of Chemistry.


Palavra Chave:

Contextualização. Ensino de Química. Relatos de Sala de Aula.

Arquivos

Monografia: Monografia.pdf