A química dos saneantes em tempos de covid-19: você sabe como isso funciona?

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

Autora:

Maria L. S. O. Lima, Ramon K. S. Almeida, Francine S. A. da Fonseca, Caroline C. S. Gonçalves


Resumo:

Em dezembro de 2019, foi notificado o primeiro caso de síndrome respiratória aguda grave (COVID-19), causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a doença foi declarada pandemia mundial em março de 2020. Como não há vacina atualmente disponíveis, os hábitos de higiene diária, limpeza e distância social são as formas de combate ao COVID-19 apontadas pela OMS. A higiene das mãos e superfícies tornou-se imprescindível e o uso de etanol 60-90% é recomendado por sua efetiva ação biocida. Produtos à base de fenol são desinfetantes eficazes, mas podem causar irritação e não são recomendados para superfícies que entram em contato com alimentos. Existem sais de amônio quaternários que apresentam baixa toxidade e são bons higienizadores, pois podem causar a desnaturação de proteínas e o rompimento da bicamada lipídica viral. O hipoclorito de sódio é um dos desinfetantes mais utilizados devido ao seu baixo custo e efetiva capacidade oxidativa. Na mesma direção, os peróxidos também são utilizados como biocida, pois causam oxidação de lipídios e desnaturação de proteínas virais. O objetivo deste trabalho é descrever os modos de ação e conceitos químicos dos sanificantes recomendados pela ANVISA-Brasil para uso contra o novo coronavírus.


Palavra Chave: Desinfetantes; COVID-19; Ação biocida; SARS-CoV-2; Coronavírus


Referências: LIMA, Maria L. S. O. et al . A QUÍMICA DOS SANEANTES EM TEMPOS DE COVID-19: VOCÊ SABE COMO ISSO FUNCIONA?. Quím. Nova, São Paulo , v. 43, n. 5, p. 668-678, maio 2020 .


Texto completo: A química dos saneantes em tempos de covid-19: você sabe como isso funciona?,


VOLTAR PARA ARTIGOS