A Engenharia na Classificação Brasileira de Ocupações

De MediaWiki do Campus São José
Ir para: navegação, pesquisa

PORTARIA Nº 397, DE 09 DE OUTUBRO DE 2002

Aprova a Classificação Brasileira de Ocupações - CBO/2002, para uso em todo território nacional e autoriza a sua publicação.

Listagem das Profissões Regulamentadas: normas regulamentadoras

23. Engenheiro/ Arquiteto/ Agrônomo

  • Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo e dá outras providencias.
  • Lei nº 8.195, de 26 de junho de 1991 - Altera a Lei nº 5.194/66.
OBS: O Decreto nº 241/67, incluiu entre as profissões cujo exercício é regulado pela lei nº 5.194/66, a profissão de engenheiro de operação.
OBS: A resolução CFEAA nº 313/86, de 26 de setembro de 1986, do Conselho federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, dispõe sobre o exercício profissional dos Técnólogos das áreas submetidas á regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194/66. A relação das áreas especificadas na referida resolução encontra-se no Anexo IV deste documento.

52. Técnico Industrial

  • Lei nº 5.524, de 5 de novembro de 1968 - Dispõe sobre o exercício da profissão de Técnico Industrial de nível médio - Resolução Normativa nº 24, de 18 de fevereiro de 1970 - Autoriza os Conselhos regionais de Química a procederem ao registro de Técnicos Industriais.
  • Decreto nº 90.922, de 02 de fevereiro de 1985 - regulamenta a lei nº 5.524/68 e dispõe sobre a profissão de técnico agrícola de nível médio ou de 2º grau.

CBO 2143 :: Engenheiros eletricistas, eletrônicos e afins

Executam serviços elétricos, eletrônicos e de telecomunicações, analisando propostas técnicas, instalando, configurando e inspecionando sistemas e equipamentos, executando testes e ensaios. Projetam, planejam e especificam sistemas e equipamentos elétricos, eletrônicos e de telecomunicações e elaboram sua documentação técnica; coordenam empreendimentos e estudam processos elétricos, eletrônicos e de telecomunicações.

2143-05 - Engenheiro eletricista - Engenheiro elétrico , Engenheiro eletrotécnico
2143-10 - Engenheiro eletrônico
2143-15 - Engenheiro eletricista de manutenção - Engenheiro de manutenção elétrica
2143-20 - Engenheiro eletricista de projetos - Engenheiro de projetos elétricos , Engenheiro eletrotécnico de projetos
2143-25 - Engenheiro eletrônico de manutenção - Engenheiro de manutenção eletrônica
2143-30 - Engenheiro eletrônico de projetos - Engenheiro de projetos eletrônicos
2143-35 - Engenheiro de manutenção de telecomunicações
2143-40 - Engenheiro de telecomunicações - Engenheiro de comutação , Engenheiro de tráfego telefônico , Engenheiro de transmissão
2143-45 - Engenheiro projetista de telecomunicações - Engenheiro de projetos de telecomunicações , Engenheiro de projetos de telefonia
2143-50 - Engenheiro de redes de comunicação - Engenheiro de sistemas de comunicação
2143-55 - Engenheiro de controle e automação - Engenheiro de automação , Engenheiro de controle , Engenheiro de instrumentação
2143-60 - Tecnólogo em eletricidade - Engenheiro operacional em eletrotécnica
2143-65 - Tecnólogo em eletrônica

Condições gerais de exercício

Trabalham em ramos de atividade econômica variados. Na área industrial, encontram-se na fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos e eletrônicos e de equipamentos de telecomunicação. É expressiva a presença desses engenheiros na atividade de serviços de apoio à indústria, tais como empresas de manutenção, na geração, distribuição e transmissão de energia elétrica, água e gás, e na construção civil. Trabalham em empresas pequenas, médias e grandes nas áreas pública e privada, como empregados ou prestadores de serviços. Suas atividades costumam se desenvolver em equipe multidisciplinar com supervisão ocasional. Em algumas atividades, podem estar submetidos a condições especiais de trabalho, por exemplo, grandes alturas, altas temperaturas, ruído intenso, exposição a material tóxico, alta tensão e radiação.

Formação e experiência

O exercício profissional requer formação em uma das áreas de Engenharia: elétrica, eletrônica ou telecomunicações ou curso de tecnólogo em uma das áreas, com registro no CREA. O exercício pleno das atividades ocorre, em média, com quatro anos de exercício profissional. A manutenção do emprego neste domínio requer de seus profissionais atualização constante.

CBO 2032 :: Pesquisadores de engenharia e tecnologia

Desenvolvem materiais, produtos, processos e métodos relacionados à engenharia e tecnologia, projetando e especificando equipamentos, protótipos e plantas-piloto e testando protótipos, materiais, processos e parâmetros de operação de plantas-piloto. Participam da qualificação, certificação e homologação de laboratórios e produtos. Planejam e executam pesquisas, gerenciam informações de C&T. Podem também prestar serviços de consultoria técnica, bem como dar aulas.

2032-10 - Pesquisador de engenharia e tecnologia (outras áreas da engenharia) - Engenheiro pesquisador (outras áreas da engenharia), Especialista em engenharia e tecnologia (outras áreas)
2032-15 - Pesquisador de engenharia elétrica e eletrônica - Engenheiro pesquisador (engenharia elétrica e eletrônica), Engenheiro pesquisador (telecomunicações), Especialista em engenharia elétrica e eletrônica

Condições gerais de exercício

Os profissionais atuam, principalmente, em universidades públicas ou em centros de pesquisas vinculados a grandes empresas públicas, em diversas áreas como, por exemplo, em pesquisa e desenvolvimento, ensino, administração pública, defesa e seguridade social, siderurgia, extração de petróleo, mineração. Costumam trabalhar em equipes interdisciplinares compostas, muitas vezes, por pesquisadores de várias instituições ou empresas, com supervisão ocasional. Os pesquisadores em engenharia química e tecnologia, em particular, podem estar expostos a altas temperaturas e a materiais tóxicos. Seu vínculo de trabalho predominante é como empregado registrado.

Formação e experiência

As ocupações da família requerem como escolaridade mínima o superior completo, sendo freqüente profissionais com cursos de pós-graduação e especialização. Normalmente são engenheiros e profissionais com conhecimento teórico necessário para desenvolver pesquisas em engenharia e tecnologia como, por exemplo, química, física e matemática. Habitualmente, os pesquisadores titulares têm, no mínimo, cinco anos de experiência na área.

CBO 2123 :: Administradores de redes, sistemas e banco de dados

Administram ambientes computacionais, definindo parâmetros de utilização de sistemas, implantando e documentando rotinas e projetos e controlando os níveis de serviço de sistemas operacionais, banco de dados e redes. Fornecem suporte técnico no uso de equipamentos e programas computacionais e no desenvolvimento de ferramentas e aplicativos de apoio para usuários, orientam na criação de banco de dados de sistemas de informações geográficas, configuram e instalam recursos e sistemas computacionais, gerenciam a segurança do ambiente computacional. Podem aplicar geotecnologia em sistemas computacionais.

2123-05 - Administrador de banco de dados - Administrador de banco de dados e de sistemas computacionais
2123-10 - Administrador de redes - Administrador de rede e de sistemas computacionais , Administrador de sistema operacional de rede , Analista de suporte de rede
2123-15 - Administrador de sistemas operacionais - Administrador de sistemas computacionais , Analista de aplicativo básico (software)

CBO 2343 :: Professores de ... engenharia, ... do Ensino Superior

Desenvolvem no ensino superior atividades didáticas, de pesquisa e de extensão nas áreas de conhecimento da engenharia, ... e em áreas afins, podendo exercer atividades administrativas institucionais.

2343-10 - Professor de engenharia

Condições gerais de exercício

Lecionam disciplinas transversais e específicas nas áreas das engenharias ... nos níveis de graduação, pós-graduação e extensão. Podem desenvolver atividades de pesquisa e desenvolvimento, vinculados a universidades ou faculdades, predominantemente como empregados registrados. Trabalham em períodos diurnos e noturnos com supervisão ocasional.

Formação e experiência

As ocupações da família exigem para o seu exercício, formação de nível superior na área. No mercado de trabalho, é desejável que os titulares das ocupações tenham títulos adicionais de pós-graduação e especialização, bem como experiência na área superior a cinco anos.