Projeto Integrador - Instalação, Configuração e Manutenção de um Provedor de Redes

De MediaWiki do Campus São José
Revisão de 14h03min de 10 de agosto de 2006 por Jailson (discussão | contribs) (Equipe 2 <br> <font color=red>União Veterana - Veterananschluß</font>)
Ir para: navegação, pesquisa

Instalação, Configuração e Manutenção de um Provedor de Serviços de Rede.

Objetivos

O presente projeto tem o intuito de realizar o planejamento e a implantação de um provedor de rede, incluindo todos os softwares e hardwares necessários para o funcionamento de um provedor de serviços de internet, aproximando-se ao máximo da realidade de uso no mercado.

Este provedor ficará acessível de qualquer ponto de acesso na rede mundial de computadores, permitindo a exata analogia de caso com o mercado. Permitindo inclusive a simulação de mau uso por parte dos usuários e/ou ataques por hackers, vírus etc.

Motivação:

A principal motivação é a total implantação de um provedor de serviços de internet, focado em aspectos práticos e técnicos na execução da tarefa num caso real.

Outra motivação é a vivência prática de trabalho em equipe, como exigido tão fortemente na realidade do mercado atual.

Também pode se citado como motivação a possibilidade deste projeto ser implementado, ou simulado, numa configuração real. Por exemplo, algum membro da equipe tem necessidade de implantar um servidor de rede para uma pequena empresa da qual é proprietário ou onde trabalha. Neste caso a proposta inicial poderá ser alterada, desde que acordado com os professores, para atender as demandas desta empresa.

Por último e não menos importante a integração dos vários eixos temáticos do curso.

Etapas do projeto

O projeto integrador será dividido em três grandes partes.

  1. Planejamento. Nesta etapa as equipes deverão elaborar um texto escrito, conforme modelo apresentado, onde deverá constar como mínimo um leiaute da rede, a listagem de todas as diretivas de cada um dos serviços instalados com a justificativa da inclusão dela, a descrição breve dos programas e serem desenvolvidos e a seqüência (cronograma) de implantação dos respectivos serviços. Ver o Modelo de Relatório do Projeto Integrador.
  2. Implementação. Nesta etapa os alunos deverão implementar o projeto e fazer ajustes quando necessário. Os programas - scripts - desenvolvidos deverão ser completamente comentados.
  3. Testes e análise da implementação. Nesta etapa serão feitos testes dos sistemas, tanto por parte dos alunos quanto dos professores. Serão acessados todos os serviços tanto localmente quanto remotamente.

Serviços a serem implantados

Nesta etapa dividiremos, por questões organizacionais, o trabalho em categorias por eixo temático. Cada equipe terá um computador exclusivo, onde a primeira etapa sugerida de implantação será a formatação da máquina, para inicializar tudo. A senha de root deverá ser personalizada, para que os outros alunos não alterem as configurações. A mesma deverá ser informada ao professor.

Gerência de Redes

  1. Configure seu servidor para responder por um domínio. O nome do domínio deverá seguir o modelo: nome.sj.cefetsc.edu.br. onde “nome” será de escolha do grupo.
  2. O ip do servidor será: 200.135.233.5x. Onde “X “ deverá ser igual ao último digito do ip do servidor de sua equipe, ou algum outro determinado pelo professor em caso de conflito. Este número, bem como o "nome" da item anterior, deverá ser repassado ao professor, para que sejam feitos os ajustes necessários no DNS (hendrix) da escola.
  3. No servidor deverão estar configurados os seguintes serviços: DNS, servidor de e-mail, NAT, roteamento, Squid, ssh, ftp, DHCP, firewall, Apache com uma página personalizada e cotas em disco para os usuários.
  4. Deverão ser criados usuários, e estes deverão ter um e-mail do tipo: usuario@nome.sj.cefetsc.edu.br. Os usuários poderão também ter acesso a suas contas/arquivos remotamente. Para cada professor deverá ser criado um usuário exclusivo e na criação deste, a equipe deverá informar, como faria há um usuário leigo, quais os serviços disponíveis e o procedimento para acessar os mesmos, em resumo: manual do usuário. Obs.: os professores farão uso destes usuários para testar o sistema. Convidem colegas para serem usuário do seu sistema, avisando que é um sistema experimental.
Sugestão de bibliografia para Gerência de Redes

Vários textos baixados da internet que estão em: http://www.tele.sj.cefetsc.edu.br/~odilson/

Livros:

Tibet, Chuck V. Linux: Administração e Suporte. Novatec Editora. ISBN: 85-85184-95-7. 2001.

Ferreira, Rubens E. Linux: Guia do Administrador do Sistema. Novatec Editora. ISBN: 85-7522-038-1. 2003.

Hunt, Craig. Linux: Servidores de rede. Editora Ciência Moderna. ISBN: 85-7393-321-6. 2004.

Stanger, James; Lane, Patrick T.; Danielyan, Edgar. Rede Segura Linux. Editora Alta Books. ISBN: 85-88745-10-0. 2002.

Programação para Redes

Implementar um CGI script a ser utilizado com o Apache Web Server para gerar dinamicamente páginas HTML com informações sobre o sistema em operação. A página deverá gerar dentre outras informações:

  • Atual tabela de roteamento do sistema;
  • Situação de configuração do Firewall;
  • Estado atual das conexões do sistema (via netstat)
  • Serviços em execução sobre o sistema
  • As conexões com SSH das últimas 24 hs
  • As conexões com FTP das últimas 24h
  • As conexões com Apache Server das últimas 24hs
  • Contagem do acesso a página (numero de acessos);
  • Outras informações que achar importante, como por exemplo: Monitoramento do uso do sistema pelos usuários (por ex.: Quantas horas usou o sistema, data/hora último login, etc. )

O CGI deverá fazer uso do login (via senha) para acesso das informações.

OBS:

  1. Toda a rede física/lógica deve ser restabelecida diariamente, para que outras turmas possam usar o laboratório normalmente.
  2. Máquinas ligadas 24h para acesso remoto quando a implementação ficar pronta e por um período a ser definido.
  3. Alocação de Equipamentos: um computador e um modem por equipe e mais dois moden´s de uso coletivo usado de acordo com a necessidade, cabos de rede crossover, hub de uso coletivo para todos os grupos acessarem a rede do CEFET/SC.
  4. Existe uma rede complementar e outros equipamentos que serão implementados de acordo com as instruções do prof. Jorge Casagrande.
Sugestão de bibliografia para programação

http://www.lcp.coppe.ufrj.br/~thobias/doc/cgi_shell.html

Equipamentos de Redes e Cabeamento Estruturado

Abaixo temos uma figura que mostra como será a topologia da rede a ser implementada. Deve-se observar que cada equipe implementará apenas parte da rede. A rede como um todo surgirá do conjunto dos trabalhos feitos pelas diversas equipes. Os equipamentos mostrados na figura serão disponibilizados pelo professor. A instalação e configuração dos mesmos será responsabilidade das equipes.

Topologia da rede a ser implantada no projeto integrador


Relatórios para o Projeto de Integração da Terceira Fase de Redes.

Equipe 1

Relatório da Equipe 1 para o Projeto de Integração da Terceira Fase de Redes


Equipe 2
União Veterana - Veterananschluß

Relatório da Equipe 2 - Projeto de Integração - Terceira Fase de Redes
Andréia Silva Castanharo
Jailson Sebastião Martins
Nelson Granados Moratta


Equipe 3

Relatório da Equipe 3: Anderson, Jaiane, Hamilton

Equipe 4

Relatório da Equipe 4 para o Projeto de Integração da Terceira Fase de Redes