19 ANOS DE QNEsc: A TRAJETÓRIA DA REVISTA E (IN)CONFORMISMOS MANIFESTADOS NOS EDITORIAIS

De MediaWiki do Campus São José
Revisão de 13h46min de 30 de abril de 2014 por Janete.bromer (discussão | contribs) (Criou página com ''''Autor:''' Priscila Cani Vieira Assunção '''Resumo:''' Esta pesquisa toma como objeto de análise os Editoriais de um periódico pedagógico especializado da área de Edu...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Autor:

Priscila Cani Vieira Assunção

Resumo:

Esta pesquisa toma como objeto de análise os Editoriais de um periódico pedagógico especializado da área de Educação em Química existente desde 1995, a Revista Química Nova na Escola (QNEsc). Assumidos como um gênero textual retórico-opinativo, acredita-se que a investigação destes Editoriais permite, por um lado, a visibilidade de elementos do cotidiano da Revista, assim como pode trazer à tona, ou pelo menos deveria trazer, as contestações e insatisfações sobre a conjuntura social, política e educacional do país do período de sua existência. A partir deste pressuposto, objetiva-se caracterizar a trajetória de 19 anos de existência da Revista QNEsc manifestada em seus Editoriais, bem como identificar e discutir os (in)conformismos dos Editores com políticas sociais e educacionais, e com encaminhamentos econômicos postos em prática no período neoliberal. De caráter qualitativo e exploratório-descritivo, esta pesquisa envolve a análise de conteúdo de 48 Editoriais da QNEsc (1995 a 2013), a partir da qual se faz uma síntese de cada texto e sua categorização. Inicialmente, são tratadas questões quanto à trajetória da Revista, desde o seu surgimento até a sua consolidação, quem são os editores e a estrutura dos Editoriais. Constata-se na fala dos Editores (in)conformismos relativos: ao financiamento e gestão da Educação, no período do governo de Fernando Henrique Cardoso (de 1995 a 1998 e de 1999 a 2002), como a extinção do Subprograma Educação para a Ciência amplamente criticada; às políticas públicas de currículo e avaliação da Educação Básica, com ênfase nas divergências/insatisfações da comunidade científica quanto à elaboração e implementação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, bem como à recente proposição de reforma do Ensino Médio, prevendo a extinção das disciplinas específicas; às políticas de avaliação e financiamento de periódicos e de pesquisa acadêmica, com reflexões sobre a criação e posterior extinção da Área de Ensino de Ciências e Matemática da CAPES; e, por fim, à formação e valorização dos professores no país.


Abstract:


Palavra Chave: Editoriais; Revista Química Nova na Escola; (in)conformismos educacionais.

Arquivos

Monografia: Monografia.pdf